Conversa na Travessa

terça-feira, novembro 29, 2005

Porque gostamos de pulp fiction e tínhamos saudades destes rapazes

*

"Gay" Perry Van Shrike: This isn't good cop, bad cop. This is fag and New Yorker.

"The dialogue exists not to explain anything or advance the story. It exists entirely in order to be dialogue."

O filme? Nao é mau de todo.

SHIRLEY BASSEY, Mr. Kiss Kiss Bang Bang
He's tall and he's dark,
And like the shark, he looks for trouble,
That's why the zeroes double,
Mr. Kiss Kiss Bang Bang.

He's suave and he's smooth
And he can soothe you like vanilla.
The gentleman's a killer.
Mr. Kiss Kiss Bang Bang.
(...)
He's fast and he's cool.
He's from the school that loves and leaves 'em...
A pity if it grieves 'em!
Mr. Kiss Kiss Bang Bang's not a fool.
No, he's no fool.
He's no fool.
He is no fool.

sexta-feira, novembro 25, 2005

Matar o tédio...

quarta-feira, novembro 23, 2005

Só um teste rápido e já estou de saída II...

...mas desta vez para vocês.


Cliquem na imagem para ampliar

Exercise your music muscle.

O objectivo é encontrar o maior número de nomes de bandas possíveis, associando os diversos elementos existentes nesta imagem.
Exemplos: Eagles, Alice in Chains, Rolling Stones, Led Zepellin,...

Got it?

Só um teste rápido e já estou de saída...

Ride
You Are... Slowdive.

You are very comfortable with the person that you
are. You are pretty traditional in a classical
sort of way. You relate most to things of a
darker, more mysterious nature. You tend to be
quiet and shy but you still manage to make
friends pretty easilly. Though your ambition is
bigger than your talents, your perseverance
will always lead you to bigger and greater
things.


what Creation Records band are you? (complete with text and images)
brought to you by Quizilla

terça-feira, novembro 22, 2005

Follow the bloody leader, no fundo

My Bloody Valentine
You Are...My Bloody Valentine.

You tend to be a bit distant and reclusive. You are
a leader as opposed to being a follower. You
are a perfectionist and pay very close
attention to detail. You have the tendency to
be lazy, which sometimes get's in the way of
you achieving whatever it is you may be trying
to perfect. You don't really care about what's
typically looked upon as the norm. You really
don't care about what people think about you at
all, or at least so you try and make it seem.
You care most about just being yourself.


what Creation Records band are you? (complete with text and images)
brought to you by Quizilla

(teste gamado 'a Sis', que o tinha gamado ao Quase Famosos)

segunda-feira, novembro 21, 2005

A contribuicao portuguesa para a 7a. arte no estrangeiro



Ontem adormeci no sofá. Este factus vulgaris, ainda para mais assim isolado, nao constitui em si uma contribuicao portuguesa para a 7a. arte no estrangeiro, já que se trata de um desporto que eu pratico regularmente - e com muito sucesso para os lados do sofá, acrescente-se. Nas miticas disputas sofá_fofissimo_da_sala_em_frente_ao_televisor versus Maria_das_Flores, ganha quase sempre o sofá, por larga margem. Ontem entao foi daquelas partidas ganhas 'a partida, passe a cacofonia ou repeticao ou redundancia ou o que é. Ontem 'a noite podia visionar-se no Channel 4 uma maratona de contribuicoes da Julia Roberts para a 7a. arte. Adormeci nos primeiros 5 minutos do Notting Hill, quando a Julia entra no estaminé do Hugh Grant, e só volto a acordar, com taquicardia e a espumar da boca, nos 5 minutos finais de uma coisa chamada Mystic Pizza. Ora, impoe-se perguntar: como é que se deu este volte face na disputa sofa_fofissimo_etc versus Maria_das_Flores, 'a partida perdida por Maria_das_Flores? A resolucao deste mistério reside numa música (uma espécie de corridito) nao incluida no CD/Vinil com a banda sonora do filme (como podem constatar aqui: However not all the songs fromn the movie are on this soundtrack.):
[e finalmente um parágrafo]

Sapateira, ó sapateira
lalarararara lalala
Sapateira, ó sapateira,
ó sapateira, meu bem

etc.

Esta pérola desconhecida (as far as I know) do folclore portugues faz de background musical numa cena de um copo-de-água, ao que se segue um faducho corridito, também nao incluindo na Banda Sonora, o que me parece de uma ingratidao de tamanho XXL. Esta é uma situacao altamente indignificante para a música popular portuguesa, mas, de qualquer forma, a minha espondilose agradece ao tipo que escolheu as músicas a botar (Br.) no filme. Já eram mais do que horas de me aninhar na minha cama ortopédica.

sexta-feira, novembro 18, 2005

Textos que daríamos a ler a William Shatner #8* [com a participacao especial de Mickey & Mallory Knox e do Coro de Santo Amaro de Oeiras]



INTRO
Mickey: The whole world's coming to an end, Mal.
Mallory: I see angels, Mickey. They're comin' down for us from heaven. And I see you ridin' a big red horse. You're drivin' the horses, whippin' 'em. And they're spittin' and barfin' all on you now. They're coming right at us. And I see the future. There's no death 'cause you and I, we're angels.
Mickey: I love you, Mal...
Mallory: I know you do, baby. I've loved you since the day we met.


DESENVOLVIMENTO

Don Shatner: Anyone who's ever had a heart wouldn't turn around and break it. And anyone who's ever played a part wouldn't turn around and hate it. Sweet Jane, sweet Jane. Sweet, sweet Jane.

You're waiting for Jimmy down in the alley. Waiting there for him to come back home. Waiting down on the corner and thinking of ways to get back home. Sweet Jane, sweet Jane. Sweet, sweet Jane.

Anyone who's ever had a dream, anyone who's ever played a part, anyone who's ever been lonely, and anyone who's ever split apart. Sweet Jane, sweet Jane. Sweet, sweet Jane. Heavenly widened roses seem to whisper to me when you smile. Heavenly widened roses seem to whisper to me when you smile.

INTERMEZZO
Coro de Santo Amaro de Oeiras: La la la la, la la la la la la. La la la la, la la la la la la. La la la la, la la la la la la. La la la la, la la la la la la.

CONCLUSAO
Don Shatner: Sweet Jane. Sweet, sweet Jane.

*Mais uma página na história do primeiro movimento interbloguístico de que há memória, movimento perpétuo-compulsivo com o objectivo sacramental de eliminar a laser o movimento que sobrevaloriza entidades como o Jack Johnson, os Arcade Fire, os Keane, os anos oitenta, a Diane Krall, o pudinzinho flã caseiro, o Sun Ra, o Pedro Emanuel, a Dra. Uhlenbroek (referência britânica) e o Nuno Galopim. As insónias de tres amigos - Le Fante, batukada e, portanto, eu - e a conviccao partilhada de que só o rei da spoken word - Don William Shatner - pode ser sobrevalorizado, continuam - e continuarao eternamente - a berrar a barlavento e a sotavento 'Long live to Don Shatner'. E muito obrigada. [actualizacao: as insónias e as conviccoes berram, pois berram]

William Shatner has left the building.

quarta-feira, novembro 16, 2005

Uma pessoa regressa ao seu metro quadrado de communal office com saudades de um karaoke vintage



Pensuconsunjoparasidonovolveramas
emipintabelasmanuelacararasu
lalalalal lalalalalalalalalala
lalalalalalalalla lalalala lala
melbu dipintudiblu
velitschi plistarelasu


No fundo, isto nao é mais do que um preambulo a uma advertencia (sim, preambulo a uma advertencia) a Don Bill Shatner (a futura #8).

quinta-feira, novembro 10, 2005

As saudades da sua terra são mais notórias no sorriso mecânico à piada batida " Quero um mil folhas e veja lá, porque se só tiver novecentas e noventa e nove eu devolvo."

sexta-feira, novembro 04, 2005

Ai como é morno, o amor em Portugal

"Como é diferente

o amor em Portugal!

Nem a frase sutil,

nem o duelo sangrento...

É o amor coração,

é o amor sofrimento.

Uma lágrima...Um beijo...

Uns sinos a tocar..

Um parzinho que ajoelha

e que vai casar.

Tão simples tudo!

Amor, que de rosas se inflora:

Em sendo triste canta,

em sendo alegre chora!

O amor simplicidade,

o amor delicadeza...

Ai, como sabe amar,

a gente portuguesa!

Tecer de sol um beijo, e,

desde tenra idade,

Ir nesse beijo unindo o amor

com a amizade,

Numa ternura casta

e numa estima sã,

Sem saber distinguir entre

a noiva e a irmã...

Fazer vibrar o amor em

cordas misteriosas,

Como se em comunhão se

entendessem as rosas,

Como se todo o amor fosse

um amor somente...

Ai, como é diferente!

Ai, como é diferente!"

in " A Ceia dos Cardeais" de Júlio Dantas

quinta-feira, novembro 03, 2005

Ceci c'est pas un fotoblog


© 1975 Jean Gaumy/Magnum Photos

Vou ali comprar jornais portugueses, que a Borders já nao os recebe. Até já.

terça-feira, novembro 01, 2005

Halloween 3 [remate]



Chamem-me de catastrofista voyeur, mas tenho de ir a correr ver o terramoto de magnitude 8.7. Todos ao terramoto!



-- Ilustracoes roubadas do epicentro.