Conversa na Travessa

sexta-feira, setembro 30, 2005

Amor á (com acento virado para o loutro lado) camisola

E-mail de engenheiro identificado:

"You see! Engineering."

quinta-feira, setembro 29, 2005

"...tenho prái uns projectos"

Sei que há já algum tempo que não tento escrever nada por aqui.
O tempo anda escasso, o humor anda escasso, a paciência anda escassa, enfim... Ando a Ficar Velha!

Mas há por aqui na minha vida, uma cambada de inúteis que me andam a azamboar o meu calmo e sereno espírito: A Malta COM Projectos.

A Malta Com Projectos, são pessoas na sua grande maioria das ciências ditas sociais, que tal como eu, estão em situação profissional precária, ou não têm mesmo emprego.
Quando as encontramos em qualquer lado, na pastelaria da esquina, na biblioteca ou mesmo quando fazemos o nosso passeio de descontração, chamam a todo o custo a atenção sobre si mesmos, para nos fazerem entender como são bons e como nós, reles mortais que queremos dinheiro para pagar as contas, ainda não atingimos uma patamar tão sofisticado quanto eles pois, têm projectos!
A conversa começa sempre da mesma forma, um cumprimento breve, um sorriso amarelo e perguntam-nos como estão as coisas profissionalmente. Aqui começam o plano maquiavélicos da Malta Com Projectos.
Eles na verdade não querem saber como estamos, quer na nossa vida profissional ou pessoal, desejam sim, que nós - Malta Sem Projectos - lhes perguntemos o que ELES estão a fazer, ou subtilmente, nos impregnam os múltiplos PROJECTOS em que estão inseridos, grande maioria não podem confessar, pois ainda não são públicos.
Falam como se fossem a máfia: colocam a mão de lado para sussurarem, falam em código e valorizam os participantes e são sempre convidados devidos às suas categorias.
Nunca percebi!
A verdade é que me encontro por vezes com essa malta - A Com Projectos - e nunca me tenho apercebido que eles (os ditos Projectos) existam, nem sonho quem são as pessoas importantes que os convidaram, mas sem dúvida alguma o importante é ter projectos, nem que seja num registo esquizoide, sem sombra de realidade.
Algum tempo depois, os projectos, descobre-se, não foram para a frente. Mas dado que enraízaram um enredo de mentiras tão bem fundamentadas, os empregos aparecem, pois afinal eles, os inventores, são Malta fixe, sabem criar... Projectos!

A Tangerina

Cosmopolitan magazine break (II): na verdade, sou uma cynical idealista (abatam-me!)


"(...) the evolution of intellect was primarily driven by selection for manipulative, social expertise within groups where the most challenging problem faced by individuals was dealing with their companions."

You Are Somewhat Machiavellian

You're not going to mow over everyone to get ahead...
But you're also powerful enough to make things happen for yourself.
You understand how the world works, even when it's an ugly place.
You just don't get ugly yourself - unless you have to!

Cosmopolitan magazine break (I)


"It is true that the sex of a person is attested by every cell in his body."

You Are 40% Boyish and 60% Girlish

You are pretty evenly split down the middle - a total eunuch.
Okay, kidding about the eunuch part. But you do get along with both sexes.
You reject traditional gender roles. However, you don't actively fight them.
You're just you. You don't try to be what people expect you to be.

terça-feira, setembro 27, 2005

Escalas

"A escala escolhida pode inclusive alterar ou distorcer a dimensão do fenômeno."
-------------------------------------------------------------

Post meridiem. Uma pessoa armada em cicerone anda 'a procura do Nelson e tira uma foto (em picado) a uma escultura que sempre lhe pareceu estar ali. Olha em volta e ve isto:



Pergunta what's goin' on?, mas ninguem sabe, só que a BBC1 está ali e isso parece bastar-lhes. Tira outra foto em picado e resolve ir gastar 1 libra e 30 pences em café. É preciso passarem-se quase 46 horas e 60 milhas (direccao Nordeste) para que a pessoa anteriormente armada em cicerone se aperceba que aquilo era isto (via internet)...


...que é isto...


...que era uma versao 30x20 feet [Traducao com 'c' de cedilha, a pedido de pessoas com problemas de calcado com 'c' de cedilha: 9,14 x 6,10 metros] disto...

...que é tao ou mais considerado que um Turner, em certos meios. E uma pessoa [por exemplo, uma pessoa armada em cicerone há 46 horas e 60 milhas (direccao Nordeste) atrás] perde coisas na vida por causa da putadaescala.

"Broadcast on BBC ONE on Sunday 26 September, Rolf [Rolf Harris], in the first programme of the series, turned his attention to one of the country's most famous and well loved paintings - The Hay Wain, by John Constable.

The painting depicts a 19th century Suffolk scene - a hay wain, (a type of horse-drawn cart), in the mill pond in Flatford, on the river Stour, East Bergholt.

Over the course of programme, Rolf provided insights into Constable's work and life and, with the help of artists in London and Flatford, created a gigantic 30 ft by 20 ft version of the masterpiece." [Rolf on Art (BBC1)]

sexta-feira, setembro 23, 2005

Autumn Leaves (10'25'')


Coltrane by David Guccione

É oficial: as minhas noites sao, a partir de hoje, maiores do que os meus dias.

quinta-feira, setembro 22, 2005

A Marcha das Extrapolações (II)

A pedido de alguns agregados familiares, A Marcha das Amibas:

quarta-feira, setembro 21, 2005

O dinheirao que uma pessoa vai agora poder poupar em viagens interplanetárias


"Men and women come from same planet after all, claims psychology study."

Já para nao falar no jet-lag e nos ouvidos tapados. All gone.

terça-feira, setembro 20, 2005

A Marcha das Extrapolações (I)


© Werner Bischof/Magnum Photos

Extrapolação #1 - a natureza diz como nos devemos comportar

Dos States chega-nos a seguinte crítica cinematográfica:
"March of the Penguins" [um documentário], the conservative film critic and radio host Michael Medved said in an interview, is "the motion picture this summer that most passionately affirms traditional norms like monogamy, sacrifice and child rearing."

O que diria Michael Medved sobre um hipotético documentário de nome "A Marcha dos Calitricídeos"? Que era um incentivo 'a poliandria (1 femea com dois ou mais machos) e a uma alimentacao baseada sobretudo em insectos? Entao e sobre "A Marcha dos Babuínos Hamadryas"? Que reafirma os valores dos sultoes - ter umas 5 ou mais esposas - na nossa sociedade. Sobre "A Marcha dos Bonobos", Medved diria que é um filme que defende apaixonadamente uma "ética hedonista" para as sociedades humanas: a resolucao de conflitos através do sexo - hetero, gay ou lesbiano -, a qualquer hora do dia e em posicoes de fazer corar o Kamasutra.

Mudando, finalmente, de ordem do Reino Animalia, o que dizer d' "A Marcha das Viúvas Negras"? Que é a exacerbacao - ilegal em tantos estados e nacoes por esse mundo fora - do canibalismo pós-coital. Lembro-me bem de ter visto um documentário na tv - BBC Wildlife ou coisa do género - que teria definitivamente chocado Michael Medved. Por acaso nao se chamava "A Marcha dos Diabos da Tasmania", mas digamos, por questoes de coerencia estilistica, que sim, que era "A Marcha Dos Diabos da Tasmania". Seguindo o raciocinio de lógica inabalável de Mr. Medved, aquele programa nao mais era do que um incentivo a práticas nojentas e criminosas: raptar femeas, po-las numa toca, violá-las até 'a exaustao, até que as bichinhas se revoltem e matem o violador e, tantas vezes, fecundador do seu óvulo.

Uma pessoa poderia estar aqui ainda umas boas semanas a imaginar marchas de bichedo e a tentar extrair o seu significado profundo na nossa sociedade. Ora, acontece que nao nos pagam para isto, nem para outras coisas, e a subsistencia tem que se lhe diga, por muito que custe a esta alminha idealista dizer. Além disso, longe de mim tentar engrupir licoezinhas de etologia camufladas a quem tenha vindo parar aqui 'a procura de coisas mais prosaicas - mas nao necessariamente despiciendas - do género sexy pics e assim. Nao estamos aqui para enganar ninguém. Nao posso, contudo, deixar de me dirigir uma última vez a Michael Medved e, na segunda pessoa do singular, perguntar e concluir: entao e "A Marcha das Amibas", Michael, ma man? Nao achas que é triste haver pessoas a defenderem apaixonadamente a reproducao assexuada através de fissao binária? Existe mais entre a natureza e tu, Michael Medved, do que sonha a tua filosofia. O que nao é argumento para defenderes o teu modo de vida como o único natural.

DISCLAIMER: The American distributors of the film, Warner Independent Pictures and National Geographic Feature Films, insist that the movie is simply a tale about penguins and that any attempt to divine a deeper meaning is misguided.

(Fonte inicial: MVA)

sexta-feira, setembro 16, 2005

Textos que daríamos a ler a William Shatner #3*



(Twenty seconds and counting... T minus fifteen seconds, guidance is okay)

When I look back upon my life it's always with a sense of shame. I've always been the one to blame for everything I long to do, no matter when or where or who, has one thing in common, too: it's a, it's a, it's a, it's a sin. It's a sin!

Everything I've ever done, everything I ever do, every place I've ever been, everywhere I'm going to it's a sin.

At school they taught me how to be so pure in thought and word and deed. They didn't quite succeed. For everything I long to do - no matter when or where or who - has one thing in common, too: it's a, it's a, it's a, it's a sin. It's a sin!

Everything I've ever done, everything I ever do, every place I've ever been, everywhere I'm going to it's a sin.

Father, forgive me, I tried not to do it. Turned over a new leaf, then tore right through it. Whatever you taught me, I didn't believe it. Father, you fought me, 'cause I didn't care. And I still don't understand.

So I look back upon my life, forever with a sense of shame. I've always been the one to blame for everything I long to do, no matter when or where or who, has one thing in common, too... It's a, it's a, it's a, it's a sin. It's a sin.

Everything I've ever done, everything I ever do, every place I've ever been, everywhere I'm going to - it's a sin. It's a, it's a, it's a, it's a sin. It's a, it's a, it's a, it's a sin.

Confiteor Deo omnipotenti vobis fratres, quia peccavi nimis cogitatione, verbo, opere et omissione, mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa!

(Zero!)


*Terceira contribuicao para o movimento "Textos que daríamos a ler a William Shatner", organizado por tres cidadaos amigos - batukada de Jesus, Le Fante e Maria das Flores - que tem como objectivo fundacional arrasar com o movimento que sobrevaloriza conceitos como o Antony dos Johnsons, a Scarlett Johansson, os Arcade Fire, o Carlitos, os Keane, o João Pereira (conceito ainda em discussao), os anos oitenta, a Diane Krall, o Chomsky (conceito ainda em discussao), o pudinzinho flã caseiro, o Sun Ra, o ruibarbo, o Glen Miller, o Pedro Emanuel, a Dra. Uhlenbroek e o Nuno Galopim. A ter de se sobrevalorizar um conceito, que se sobrevalorize o rei pop da spoken-word. Sobrevalorizemos, entao, Dom William Shatner hoje como se nao houvesse amanha. Que viva long and prosper.

quarta-feira, setembro 14, 2005

Caixote de comentários

Uma pessoa cantarola um otoverme qualquer e vai o Ken e dá-lhe palmadinhas nas costas:

"Super post! Keep up the good work!

Best Wishes,
Ken

[link para]Cheaper Gasoline*"


É enternecedor.
Best wishes para ti também, Super Cheaper Ken.

terça-feira, setembro 13, 2005

It's been a hard day's night


© Richard Kalvar/Magnum Photos 1974
Paris, France. 14th arrondissement. Rue de l'Ouest. Tired dog.

- Mas nao agradeces aos senhores, Maria_das_Flores?
- Agradeco hoje, ontem, anteontem, muitissimo e ranhosissima, e os adjectivos ficam para depois, ok, dearests Sis, Ma-dri-nha, Becas e Jonas?

segunda-feira, setembro 12, 2005

Naqueles poucos minutos do dia...

...em que a "camisa negra" nao me está a infernizar, outro otoverme sado-maso trata do assunto:

Sopra a un'onda stanca che mi tira su
mentre muovo verso Sud
Sopra a un'onda che mi tira su
Rotolando verso Sud

Sopra a un'onda che mi tira su
Rotolando verso Sud

Sopra a un'onda che mi tira su
Rotolando verso Sud

[ai a minha vida]

- Mas nao agradeces aos senhores, Maria_das_Flores?
- É já a seguir! Sou uma desorganizada e uma ingrata, é o que é.

sábado, setembro 10, 2005

Otoverme* musical da semana que acaba hoje

Tengo la camisa negra
porque negra tengo el alma
Yo por ti perdi la calma
y casi pierdo hasta mi cama
nanananana na na
nanananana na na

[nao sei a letra toda e, ainda assim, isto nao me larga]

Tengo la camisa negra
porque negra tengo el alma
Yo por ti perdi la calma
y casi pierdo hasta mi cama
nanananana na na
nanananana na na

[Help?]

Tengo la camisa negra...
[Heeeeeeeeeeeeeeeeeeeelp!]


*Otoverme - verme incomodativo, geralmente musical, que nao mata mas moi e que se aloja nos ouvidos por largos periodos de tempo, nao deixando lá entrar mais nada (repito que isto é para maiores de 6 anos); classificacao de parasita inicialmente proposta por Miguel Esteves Cardoso; ainda nao se encontra referido no Priberam; o Priberam sugere "ectoderme"(s. f., nos seres multicelulares, a camada externa do embrião a partir da qual se desenvolvem a epiderme, os cabelos, as unhas e o sistema nervoso, também designada exoderma ou ectoblasto), mas o Priberam sabe lá das N formas do sofrimento humano.

UNF!

**!#%*"&*""$£@!#~~##!!!**£€***~##!!!**!#%*"&*""$£@!#~~##!!!**£€***~##!!!**
**!#%*"&*""$£@!#~~##!!!**£€***~##!!!**!#%*"&*""$£@!#~~##!!!**£€***~##!!!~#
**!#%*"&*""$£@!#~~##!!!**£€***~##!!!**!#%*"&*""$£@!#~~##!!!**£€***~##!!!+#

Google translation (para maiores de 6 anos): Já estou a chegar e o camandro. Já vou, caramba! Bolas!

sexta-feira, setembro 09, 2005

O regresso às aulas no séc. XX.

O meu primeiro dia de aulas, foi no tempo em que um pacote de arroz ainda custava escudos e tostões. A D. Ilda, às vezes, na falta dos mesmos, dava-me troco em rebuçados, e o meu pai ficava possesso e chamava-lhe gatuna e exploradora da inocência infantil.
Nesse primeiro dia de aulas, lembro-me que a escola ficava a uma distância ainda considerável de minha casa. Muitas estradas para atravessar e tal. Os meus pais foram-me lá levar e recomendaram-me muito seriamente que esperasse por eles à saída.
Lembro-me que não chorei, mas antipatizei seriamente com a professora estagiária ( a menina Conceição)porque me chamou a atenção para o facto de ter pintado as meias de uma boneca de preto. " Que horror! Então um desenho de uma boneca tão linda e a menina põe-lhe as meias pretas?" Só consegui dar verdadeiras asas à minha vontade de usar as cores do mundo de forma mais criativa, já no 2º ano do ciclo, com a professora Isabel Reis, quando de forma impudente, ela desatou a pintar as pernas da minha vaca do presépio de roxo, cor de carimbo de vistoria veterinária.
Prosseguindo: Estive na escola algum tempo ( não me lembro de quanto, mas naquela altura 5 minutos pareciam 5 horas). Findo esse período de apresentação, mandaram-nos sair. Todos os pais estavam à espera dos filhos. Menos os meus. Sentei-me nos degraus do portão e esperei não sei quanto tempo ( lá está, tanto foram dois minutos, como duas horas,...). Fartinha de esperar ( característica que ainda hoje conservo e que alimenta os meus bichos carpinteiros, resolvi ir sozinha para casa. E fui e correu tudo muito bem. Excepto a tareia que levei, quando os meus pais me descobriram na casa da vizinha, depois de terem andado 3 horas ( ou 3 minutos) à minha procura.
Obrigada, minha querida


Nota muitíssimo importante: Agradeço de todo o coração a uma mui digníssima visitante que canta maravilhosamente bem. A menina John. Ela tem uma banda e faz uns concertos por aí. Se precisarem de dar música, contem com ela.


Nota também muitíssimo importante: À nossa madrinha, claro, que sabemos que ela não se esquece das afilhadas, apesar de deixar passar convenientemente a Páscoa sem dar notícias.;)

segunda-feira, setembro 05, 2005

Obrigada Maria!

Por essa agenda tão bem organizada. Estava longe de me lembrar.
Dois anos. Bolas!!

Dois anos!!

Hvala na posjeti.
Quer dizer " obrigada pela visita" ou "onde é a casa de banho"?

Assinado:Maria-das-Flores

Mensagem enviada por SMS ( from Croátia with love ) por ocasião da efeméride

sexta-feira, setembro 02, 2005

Eu sei que já estão fartos de olhar para a Nancy Sinatra. Mas eu pergunto: Para quando a colecção em DVD da série Hill Street Blues?