Conversa na Travessa

sexta-feira, abril 29, 2005

Entrementes, enquanto se espera pela tal revelacao, uma outra revelacao, de tipo "servico publico", que ira' ajudar 15,8% da populacao portuguesa...

...onde me incluo regularmente -, se esta (15,8% da populacao portuguesa) tiver a boa fortuna de passar por este boteco e seguir o conselho:

"Ouvir 45 minutos de música jazz antes de deitar garante uma boa noite de sono, pelo menos é o que adianta um estudo levado a cabo por uma equipa da Universidade de Taiwan."

Assim de repente, tres dúvidas que me assolam. Nao dizem se é necessário gostar de jazz ou se gostar muito faz mal(1). Também nao referem se há jazzes mais soporiferos que outros (2). E, se tal como a marijuana parece ajudar a prevenir o declinio mental, quando administrada em certas quantidades (infelizmente, em quantidades muito inferiores ás existente numa broca), sera' possivel que ouvir mais (ou menos) de 45 minutos de jazz antes de nos entregarmos aos bracos de Morfeu seja antiproducente(3)? Eu ontem ouvi 9 minutos e meio a mais de jazz do que a dose recomendada e lixei-me. Mandei embora o Joao Pestana, que me parece ser um gajo um bocado irrascivel. 9 minutos e 30 segundos a mais e o pilantra vai dar uma volta - comprar tabaco ou la' o que era. Que mau feitio, catano! 45 minutos, ora bem... Hélas!, 45 minutos precisamente, aqui. Volta, Joao!


Warning: 54 minutos e meio de jazz *****.

quinta-feira, abril 28, 2005

Soon, very soon , uma revelacao em exclusivo para este boteco. International Passport's Record Bureau: toda a verdade


Watch out! Big Brother is watching you.


The Twilight Zone Archive
Nao desligue!(nem faça Alt+Ctrl+Delete ou Reset) O seu monitor nao tem nenhum problema.

Não há nada pior... ( isto também poderia ser uma série)

...que gestorzinhos de merda, armados ao omnipotente, tentarem interferir em assuntos acerca dos quais não percebem um boi, e pior, que não lhes dizem respeito nenhum!!!

terça-feira, abril 26, 2005

Racista? Je? Moi?


"Can a five-minute online test help tell whether you are racist or not? In the US, two million people have taken one and now a UK version is available." Ver coluna da direita desta pagina da bbc news e fazer o teste. Ou ir aqui directamente.

Mais um testezinho, mas este e' Made in Harvard e nao Made in Cosmopolitan, o que me preocupa um bocadinho mais quando vejo os resultados do meu teste para ver se sou implicitamente racista:

Your data suggest a moderate automatic preference for White People relative to Black People. Fenix! Mas continuei a fazer testes e:

Your data suggest little or no automatic preference for STRAIGHT PEOPLE relative to GAY PEOPLE. Menos mal, mas depois faco outro teste e:

Your data suggest a strong association between science and Female relative to Male. Deve ser por ser uma female scientist e ter lido isto e isto. [Ja' para nao falar no gender bias da minha orientadora que favorece os seus estudantes masculinos.] Os meus resultados neste teste devem ter sido uma reaccao de raiva implicita, muito parecida com a explicita. E continuo a testar-me:

Your data suggest little or no automatic preference for THIN PEOPLE relative to FAT PEOPLE. Ai e'? Deve ser porque sinto que tenho uma gorda dentro de mim, sempre pronta a saltar ca' para fora, que se senta ao lado do gajo gay que tenho dentro de mim, que vibra com Erasure, Communards, Frankie Goes to Hollywood, Sissor Sisters (nao estas so', sister!) e ate', por vezes, Madonna e a musica pop dos anos 80 em geral. Chegada aqui, resolvo fazer de novo o teste do racismo e, homessa!, da'-me um resultado bastante diferente do primeiro (talvez por agora ter praticado um bocadinho a minha coordenacao mao-olho):

Your data suggest a slight automatic preference for Black American relative to White American. Mas entao em que e' que ficamos? Verdade seja dita, prefiro um Pharell dos N.E.R.D., ou um Ben Harper, ou um Denzel Washington, a um Jude Law (Ingles, mas em Hollywood), ou a um Brad Pitt, ou a um Robert Redford.

E ca' estao algumas criticas ao "teste do racismo":
"Some critics argue it has more to do with hand-eye co-ordination and manual dexterity than unearthing deep-seated prejudices. Others are sceptical such a test can determine whether someone is actually a racist."

E ainda:
"He calls the test "crude" for dividing opinions into "good" and "bad". "It's called dichotomous thinking. Most things in life are more complicated. Good tests allow you to grade your response on a scale of one to five or more," says Dr Banks."


Mas da' que pensar.

Não vi o filme...mas li e ouvi acerca da polémica que gerou.

Falo de “A Queda”, de Oliver Hirschbiegel. Impressionaram-me as manifestações histéricas contra o retrato humano de Hitler que supostamente é transmitido neste filme. Não me querendo alongar, pois não vi o filme, (mas será um obrigatório brevemente!), transcrevo aqui, exactamente o que penso acerca deste assunto, mas pelas palavras de Daniel Oliveira.
"Hitler gostava da sua cadela, era afectuoso com Eva Braun e com a sua secretária, chorava. Era humano. E parece que houve quem se chocasse com a revelação do óbvio. Não percebo a polémica. Hitler não era um monstro. Os monstros não existem. Era um homem. É bom que se saiba que o Holocausto não foi um acidente da história nem um acontecimento sobrenatural. Pode sempre voltar a acontecer. Porque o Inferno é feito por homens que choram, que amam e que sofrem. Isso é que o torna mais abjecto."
No Barnabé (www.barnabe.weblog.com.pt)

Nota: Por razões alheias à minha vontade, não consigo inserir hiperlinks. As minhas desculpas.

segunda-feira, abril 25, 2005

Democracia e'...:



...estar/ser expatriada e poder votar em eleicoes importantes, tanto da patria como do pais de acolhimento.

Descobri hoje que vivo em semidemocracia. Se Portugal nao me deixou votar para as passadas legislativas, ja' o Reino Unido se revelou hoje muito mais progressista do que eu pensava. Ou progressista ou distraido (podera' ser engano?).
Acabo de receber um cartao tamanho A5, de cor lilás, da Representation of the People Acts, entitulado "Official Poll Card for the Parliamentary and County Council Elections - PLEASE USE YOUR VOTE". How touching, snifs! Number on register: H****. Name: Maria_das_Flores. Address: 29, Conversation on the Side Street, C******* C** 9**. Snifs, snifs! E mais: "This card is for information only. You can vote without it, but it will save time if you take it to to the polling station and show it to the clerk there." Querem mesmo que eu vote. Com ou sem cartao de eleitor. Que cena historica. Mitico! A 5 de Maio, la' estarei nas urnas da minha area de residencia - numa igreja -, devota da cruzinha (X).

Entretanto, em escuta, em repeat, musica que podera' nao ser de todos os tempos (pouco hip), mas com letra intemporal, diga la' o que disser a Reacça:

Cancao: "Eh! Companheiro"
Música: José Mário Branco
Letra: Sérgio Godinho
In: "Margem de Certa Maneira", 1982

(...)
Eh! Companheiro resposta
resposta te quero dar
Só tem medo desses muros
quem tem muros no pensar
todos sabemos do pássaro
cá dentro a qu'rer voar
se o pensamento for livre
todos vamos libertar

(...)
Eh! Companheiro resposta
resposta te quero dar
Portas assim foram feitas
p'ra se abrir de par em par
não confundas duas coisas
cada paz em seu lugar
pela paz que nos recusam
muito temos de lutar.


Sempre!

sexta-feira, abril 22, 2005

Este post nao se entitula - ou eu é que nao o entitulo de - "Lost in Translation" (queriam, nao?!)



O sol doira sem literatura - e hoje doira mesmo - mas por motivos tecnicos nao alheios 'a organizacao, afinal nao vou sentir o puro flow do Senhor Jorge. E reparem que os bilhetes leftovers comprados hoje para o concerto de hoje custam apenas 5 mocas inglesas (informacao gratis; quem e' amiguinha, quem e'?). Ganhou o sentimento (partilhado) de culpa por nao estar a ser produtiva, coisa tao etica-protestante-e-espirito-do-capitalismo, que e' um feeling muito pouco sebem(TM). Enfim, todos carregamos as nossas cruzes.

Musica: David Bowie
Letra: Seu Jorge
Interprete: Seu Jorge 'a viola
Banda sonora: The Life Aquatic with Steve Zissou (Um Peixe Fora de Agua???), faixa # 15, "Life on Mars" (comparar com o original; dupla satisfacao garantida ou o seu dinheiro de volta)

Quando as coisas do coração
Não consegue compreender
O que a mente não faz questão
E nem tem forças para obedecer
Quantos sonhos já destruí
E deixei escapar das mãos
E se o futuro assim permitir
Não pretendo viver em vão
Meu amor não estamos sós
Tem um mundo a esperar por nós
Do infinito do céu azul
Pode ter vida em marte
Entao vem cá
Me dá a sua língua
Então vem
Eu quero abraçar vocë
Seu poder vem do sol
Minha medida
Entao vem
Vamos viver a vida
Então vem
Se não eu vou perder quem sou
Vou querer me mudar
Para uma Life on Mars

repeat

.....

Entao vem
Se nao eu vou perder quem sou
Seu poder vem do sol
Minha medida
Então vem
Vamos viver a vida
Meu bem
Se nao eu vou perder quem sou
Ou ou ou
Vou querer me mudar
Para uma Life on Mars [lindo...]

quinta-feira, abril 21, 2005

A ilusao - o engano - e' a chave da razao, andam para ai a dizer. Nao me digam que tambem eu sou uma iluminista!



"Cervantes is celebrated as the first and greatest of novelists. Less appreciated is Don Quixote's own role as the founding father of the Enlightenment.
(...)
Having delineated Enlightenment rationality by the comic delineation of its opposite, Cervantes overflows the dimensions of both. If we admire Don Quixote today, it is surely because we continue to agree with him that his madness, not his reason, enables him to transcend the world of things and believe in a world of value. Enlightenment virtues we may all share. Our madness is our faith, and belongs to us alone." (Julian Evans, "A Rational Quixote", Prospect, May 2005)

quarta-feira, abril 20, 2005

AVISO: post exclamativo. Enough of remancho!Sempre a abrir agora!E quem e' que foi ao meu quarto enquanto eu estive fora e tirou esta polaroid???!!


(clicar para aumentar)
Piled Higher and Deeper by Jorge Cham (2005)



[?!?!?! Ratzinger?!?!?! Nazinger?!?!?! Rasputin?!?!?! Rasputin?!?! Richelieu?!?!?!Richeliao?!?!?!*]

* Livre associacao de ideias.

Já repararam...

...que já há Papa?
Eu reparei hoje quando tudo de repente pareceu melhor e mais bonito.
Deverei candidatar-me à presidência de um município?

quarta-feira, abril 13, 2005

Não podia estar mais de acordo...

..com o que escreve o Ivan neste post.
E contra mim falo.

segunda-feira, abril 11, 2005

E de novo,la' me vou remanchar por Lx.A emissao cont. dentro de momentos.No ar*:


Maluda 1996. Telhados de Lisboa. Técnica: Serigrafia. Dimensões do Papel: 70 X 50 cm. Dimensões da Mancha: 46,5 X 38 cm. Edição de 150.Valor: 1.200 €. Aceitam-se ofertas a partir de 950 €. E faco anos em Maio...

E de novo, Lisboa...

E de novo, Lisboa, te remancho,
numa deriva de quem tudo olha
de viés: esvaído, o boi no gancho,
ou o outro vermelho que te molha.

Sangue na serradura ou na calçada,
que mais faz se é de homem ou de boi?
O sangue é sempre uma papoila errada,
cerceado do coração que foi.

Groselha, na esplanada, bebe a velha,
e um cartaz, da parede, nos convida
a dar o sangue. Franzo a sobrancelha:
dizem que o sangue é vida; mas que vida?

Que fazemos, Lisboa, os dois, aqui,
na terra onde nasceste e eu nasci?

- Alexandre O´Neill in Poesias Completas 1951/1981

* Warning: Isto nao e' uma emissao do Oceano Pacifico

sexta-feira, abril 08, 2005

Os meus sentimentos, mas nao sou adepta de elogios funebres a respeito de uma suposta conciliacao entre a religiao catolica e a ciencia,quando o Papa:

1. impunha restricoes rigorosas em relacao ao aborto;
2. impunha restricoes rigorosas em relacao 'a investigacao de celulas estaminais;
3. e, sobretudo, quando impunha restricoes rigorosas em relacao 'a contracepcao.

Nao o perdoo, nunca o perdoarei por isso, mesmo que:

1. tenha declarado que nao havia contradicao entre a fe' e a ciencia (em 1980);
2. tenha dito nalgumas ocasioes que os "conceitos" de "Big Bang" e "evolucao darwinista" sao mais do que meras hipoteses;
3. tenha oficialmente reabilitado Galileu Galilei, concedendo (lindo...) que a Igreja estava errada quando o mandou prender (em 1992 - mais vale tarde que nunca, dizem).
4. por ser hoje o seu funeral (e porque ha' de alguem de ser perdoado nestas materias so' porque findou?)
(Fonte: Nature, 08/04/2004)

Alias, bastava isto para nao lhe dar o meu perdao:


(Clicar para aumentar. Fonte:UNAIDS/WHO)

quinta-feira, abril 07, 2005

Stop looking at my goddam looks, pa'!*


Camões e as Ninfas [3 delas], pintura de Columbano (Museu Militar , Lisboa). Imagem "esfumada" por mim, utilizando os meus parcos conhecimentos de html.

Tres coisas, porque o "3" e' simbolo de ordem espiritual e de perfeicao e de Santa Trindade, mas tambem de chapeu (de tres bicos), de tristes tigres (tres), de raciocinio silogistico (2 premissas + 1 conclusao), do nao ha' duas (sem tres) e do (tres)loucamento [e isto parece ser de quem nao tem mais nada para dizer, mas quer encher chouricos e porventura fazer alguma figura]:

1. Nunca percebi bem - ou melhor, sempre me fez especie - por que e' que ha' tantos quadros com gajas nuas convivendo alegremente com gajos vestidos dos pes 'a cabeca. Mais: elas sao febras, sobretudo para os padroes pin-up e balzaquianos dessas epocas, e com carinhas mais ou menos larocas, tendo sempre em conta - era capaz de dar um rim - o numero dourado. Eles? Um insulto a Venus e a Apolo (excepcao feita a obras de pendor renascentista e tal, em que ha' gajos bons desnudados)

2. A triciclina explica isto, de certa forma, ilustrando padroes de comportamento de macho tuga bronco em habitat natural. Taxonomiza-os de "Novos Mr. Magoo" e borrifa-os com "Reality for Men" (eau de parfum). Muito bom. Diria eu que entre os velhos Mr. Magoo se encontram os Columbanos (ver figura) e pintores que tais.

3. O meu setôr de Portugues do 9o. (nono) ano, com alguma fama - injusta! - de semitresloucado (embora inofensivo), quando no fundo era um genio (o bigode salvadordaliano tal confirmava), por vezes incompreendido (como todos), e' que era um iluminado. Toda a criatura do sexo feminino era uma coisa maravilhosa. Com todo o respeito (juro!), todas eramos epitetadas de "borrachos atomicos". Todas sem excepcao. Nereides, tagides, a cozinheira da cantina, a Madonna, as Madonnetes, as goticas, as betas, as borbulhosas, as mamalhudas, as que-saiam-ao-pai, as prógnatas, as dentes-de-Barbie, as obesas, as magras, as falsas magras,etc., tudo corrido a "borracho atomico". Posso dizer, nao sei se a desproposito, que toda a gente, de todos os credos, sexos, idades, constituicoes fisicas, classes socio-economicas e competencias escolares o amava e respeitava, e que os seus alunos se divertiam mais com Os Lusiadas e, nomeadamente, com o Canto Amoroso IX, do que quaisquer outros alunos de quaisquer outros professores de qualquer outro tempo. Este post, em especial a introducao - que denota que fui a umas certas e determinadas aulas -, e'-lhe dedicado.

*Adaptacao deste titulo.

Matar o tempo...



Na rua, dois sexagenários olhavam aborrecidos os transeuntes e de repente um deles exclama:
- Tu sabes qual é a principal diferença entre Londres e Paris?! Sabes?!
Como se a súbita interpelação tivesse batido à porta errada, mas por cortesia tivesse que se deixar entrar, o interlocutor da exclamação responde:
- Não faço ideia.
- É a língua..a língua....em Paris fala-se francês e em Londres, inglês.
- A sério ? Nunca tinha pensado nisso.



Nota: A foto tem decerto um autor, mas não está identificado no local onde a fui buscar. De qualquer forma é uma bela foto!

quarta-feira, abril 06, 2005

Ha' quem lhe chame contabilidade criativa...


Adam@Home by Brian Basset (2005)

...mas eu nao. Se e' verdadeiro, e' justo. Eu, por exemplo, acho que os CDs de musica tambem deveriam ser considerados business expense (embora nao tenha um business propriamente). Nao sou produtiva sem musica - verdadeiro. Segue-se, portanto, que alguem me deveria pagar os CDs - justo.

terça-feira, abril 05, 2005

Fast-rewind ou Obladi-Oblada ou ainda Licoes de Vida de uma Viajante Interurbana (imprimir e ler num comboio nao Virgin)


© Henri Cartier-Bresson / Magnum Photos. 1962. Lancashire. Liverpool.*

Ha' pessoas - um niquito irritantes - que acham que recebem grandes licoes de vida mal saem - por dois, tres dias - da cidade onde se encontram acantonadas . Ha', por exemplo, quem faca Cambridge-London King's Cross-London Euston-Chester, Chester-Liverpool, Liverpool-Chester e, novamente, Chester-Liverpool e Liverpool-London Euston-London Kig's Cross-Cambridge, e ache que aprendeu para a vida:

1. Que "In Liverpool" ate' pode ser genial durante umas 4-5 horas, mas que ao terceiro dia e' um otoverme infernal, da familia otovermica do "Obladi-Oblada".

2. Que os Beatles eram uns fixes e que sem eles nao estariamos onde estamos hoje, mas que o seu merchandising e' pior que foleiro, i.e., e' um murro no estomago (desagradavel). E.g., porta-chaves e magnetes para frigorificos em material plasticinoso e de cores berrantes com os 4 focinhos de Liverpool.

3. Que existe uma comunidade grega robusta em Liverpool, que "Filakia polla ta leme"** afinal nao quer dizer "a galinha esta' optima" e que, tal como explicado no "My big Fat Wedding" (mediocre +), tudo vem do Grego. E.g., no capitulo flores e frutos, "orquidea" vem do Grego "orchidea" (testiculo); "Miller" vem do Grego "Mili" (maçã); "Portugal" vem do Grego "portokala" (laranja), embora eu me tivesse mantido caladinha por questoes de diplomacia internacional (conflito greco-ciprioto-turco still on), que eu sei que os persas, muito antes dos gregos, chamavam portugal (leia-se "port-e-ghaal", segundo reza Google) 'a laranja.

4. Que certos tipos de mel - em principio uma coisa nojenta - combinados com queijo halloumi nao sao, afinal, uma coisa nojenta.

5. Que se outrora eu tivesse alguma duvida (not!), agora tenho a certeza que a privatizacao dos caminhos-de-ferro sucks! Pelo menos, a britanica nao correu nada bem. E de onde me veio esta licao de vida? Ora [segue-se frase longa e cansativa, como ilustracao de viagem longa e cansativa], depois de - por exemplo, por exemplo - levar 7 horas a regressar a casa, em vez das prometidas 3 horas e 45 minutos, depois de andar durante mais de 1 hora num comboio que nao cumpria as normas de seguranca (e.g., travoes operacionais), antes de mandarem toda a gente - toda! - correr ate' a uma plataforma para apanhar um comboio que afinal nao me levava onde queria, e ter ainda, on top of that, de pagar o "excesso", visto que as diferentes companhias de caminho-de-ferro estao-se nas tintas para os problemas umas das outras (neste caso, a Wagn fez-me pagar pelos "pecadilhos" da Virgin ), e depois de finalmente encontrar uma boa duzia e meia de gente que me confessou ter tido problemas com a Virgin, so' tenho uma frase imperativa e um ditado popular a dizer a quem gabe os beneficios da privatizacao dos caminhos-de-ferro: Tenham juizo, meus senhores! Fiem-se na Virgin e depois nao corram!

6. In Liverpool
On Sunday
No traffic
On the avenue
The light is pale and thin
Like you
No sound, down
In this part of town

lalalallala-laaalaaaa (Aaaaargh!)

*Restrictions : Do not use for advertising purposes. This photo may not be cropped or trimmed in reproduction.
** "Filakia polla ta leme" = (I'm sending you) many kisses.

O meu cabelo está comprido...

...como podem ver.


Tenho que ir cortá-lo.

segunda-feira, abril 04, 2005

Vivemos num país de merda quando...

a) saber o horário de funcionamento de um estabelecimento de venda ao público, via telefónica, requer 10 minutos do meu tempo e identificação rigorosa, quando se eu passar pela puta da porta, basta-me ler uma coisa que é pública, tal como o horário é.

b) tenho assuntos pendentes e dependentes do funcionalismo público atávico que só me sabe responder que " existem hierarquias que definem o plano de trabalho, que temos que cumprir dentro do nosso horário de trabalho e eu saio às 17hOO e o meu colega não faz só isto na vida."

c) temos uma legislação que corrobora este género de situações quando diz que, e passo a citar:..."fica dependente da autorização do membro do Governo, responsável pela Administração interna, que fixará em cada caso, as condições que entender convenientes...". Claro!

Nota: Talvez não seja do País e o dia me esteja apenas a correr mal. Mas não tenho bem a certeza.

Os grandes misterios da Humanidade: Revelacao - umbiguistica - no.1

A pergunta: Por que escolhi um nick tao comprido (e foleiro*)?





A resposta possivel a): 14 bolachinhas bokstavskex > (maior do que) 8 bolachinhas bokstavskex, e eu gosto muito de bolachinhas.

A resposta possivel b): "En oerhört värdefull resurs på nätet" (Marcus Nohlberg, 2000-09-25)

(via blogotinha)

*isso e' outro misterio.

Nota: Faz-me especie - expressao maravilhosa - a Cookie Maria nunca ter falado nestas bolachas. Se calhar e' fiel 'a Bolacha Maria e mainada.

As coisas andam complicadas.

Ai andam, andam!

domingo, abril 03, 2005

morreu alguém importante,...

... partilhemos ou não, as convicções do senhor Karol.



A Tangerina

sexta-feira, abril 01, 2005

O meu momento de felicidade do dia - inedito, pessoal, intransmissivel, inesperado, inegavel, inenarravel e inesquecivel*


1955 Raytheon 8TP series: o segundo radio transistor comercializado mundialmente. Made in USA. Vintage transistor radio. Cor: escarlate/cereja.**

Um grande passo para uma Mulher (eu! eu!), um pequeno passo para a Humanidade. Conseguir, finalmente-aleluia!, ter acesso a um PC que me permite ouvir radios online e live e com o seguinte aditivo: patroa e colegas de office fora. Dia santo, portanto.

* Indesculpavel escrever palavras acabadas em "vel" sem as acentuar na segunda silaba. A contar do fim, pois.
** "With the transistor radio, music and information suddenly became portable. No matter how isolated you were, you could hear news of the world. And for teenagers who could suddenly listen to music anywhere they wanted -- far away from an adult's ears -- it sparked a musical revolution: rock n' roll."