Conversa na Travessa

quinta-feira, março 31, 2005

The Incredibles



Syndrome: Oh, I'm real all right. Real enough to defeat you! And I did it without your precious gifts. Your oh-so-special powers. I'll give them heroics. I'll give them the most spectacular heroics the world has ever seen! And when I'm old and I've had my fun, I'll sell my inventions so that *everyone* can have powers. *Everyone* can be Super! And when everyone's Super... no one will be.

Ora digam lá se isto não é um plano verdadeiramente malvado!!!! Irra, que até dá arrepios...


( Neste ponto, aparece a Bonnie Tyler a miar que precisa urgentemente de um héroi! Ai!)

9 anos, 7 meses e 11 dias


Hugo Pratt (1927-1995)

Morreu ha' exactamente 9 anos, 7 meses e 11 dias. E o Google...nada!

Já ouviram o Guero do Beck?

quarta-feira, março 30, 2005

150 anos?


van Gogh (1853-1890)

Contei 152, mas se calhar sou so' eu, que tonta!

[Actualizacao: Sou tonta, de facto! O artigo que me enviaram e' de 2003.
Pronto, agora bate tudo certo e a Terra pode continuar a girar sobre si propria.

Todavia...Fez-me especie o Google comemorar o 152o aniversario do nascimento do van Gogh. Mas nao nao me parece uma ma' iniciativa, nao senhora. E, nao esquecer, amanha comemora-se o 153o. aniversario do nascimento de van Gogh.]

terça-feira, março 29, 2005

Entrementes, enquanto me organizo e tal...

... parece que a Primavera chegou e com ela o novo horario de Verao, os barbecues em cada esquina, os banhos de Sol/sombra nos relvados, as sandalias, as redaccoes "A Primavera" ou "Eu gosto muito da Primavera" de meninos ladinos, as garden parties regadas a Pimms No. 1, os gritos de excitacao histerica dos punters (referente a quem navega em punts, i.e., gondolas cambridgeanas), que, amiudas vezes, nao se aguentam nas canetas e mergulham involuntariamente no Rio Cam (muito conhecido pelos seus peixes de tres olhos, protozoarios varios e criaturas pre'-cambricas pertencentes ao Reino Monera).

Chegam tambem palavras onomatopaicas seguidas de ponto de exclamacao e repetidas tres vezes (Atchim! x 3, porque eu espirro sempre em series de tres) e os blogs transformam-se quase todos em music blogs. Como eu quero ser uma menina diferente, nao vou por nenhuma musica ali em baixo, 'a direita, no "Cantante" (mentira!: eu nao sei por musicas no blog e, pior do que isso, nao conheco um unico computador por estas bandas que aguente com tanta informacao - tudo crasha). Posto isto, mas nao obstante, tenho uma musiquinha descomplexada, fresca e divertida em escuta, de um CD que gamei ao meu housemate e que nao vale a pena comprar. E', todavia, bastante "gamavel" (de "gamar") e ate' "downloadavel" (ver sistema de classificacao):


"Anna (El negro zumbon)" (In: Hang On Little Tomato, by Pink Martini)

Ya viene el negro zumbon
Bailando alegre el baion
Repica la zambomba
Y llama a la mujer

Tengo gana de bailar el nuevo compás
Dicen todos cuando me ven pasar
"¿Chica, dónde vas?"
"¡Me voy a bailar, el baión!"

segunda-feira, março 28, 2005

Brevemente...


© Henri Cartier-Bresson / Magnum Photos. 1962. Lancashire. Liverpool.*

...O tal do fast-rewind.

* "Restrictions : Do not use for advertising purposes. This photo may not be cropped or trimmed in reproduction."

sexta-feira, março 25, 2005

Mocassins a 11 876 pesetas, se nao me falha a vista


© Abbas/Magnum Photos. SPAIN. Sevilla. Holy week. 1996.

Boa Pascoa!

quarta-feira, março 23, 2005

O Google tem esta vantagem. ( e quem diz o Google...)

Faz o anónimo aparecer subitamente aos nossos olhos como um poço de cultura geral, ou em alguns casos mais elaborados um poço de cultura específica em algumas áreas.
Podia estar aqui todo o dia a redigir posts por exemplo acerca da produção industrial de oxigénio explicando muito sucintamente que é feita por meio de um processo de destilação que retira o ar da atmosfera, que é então filtrado, comprimido e resfriado. Por meio destes processos são extraídos os teores de água, gases indesejados e impurezas. O ar purificado passa então por uma coluna onde são separados oxigénio, nitrogénio e argónio, no estado líquido. Poderia também explicar que o oxigénio é um gás incolor, inodoro e insípido. É aproximadamente 1,1 vez mais pesado que o ar e é levemente solúvel em água e álcool. O oxigénio é um líquido de cor azul pálido, ligeiramente mais pesado que a água, quando submetido à pressão atmosférica ou temperaturas inferiores a -183ºC. Sozinho o oxigénio não é inflamável, mas ajuda na combustão. É altamente oxidante, reagindo fortemente quando em contacto com materiais combustíveis, podendo provocar incêndio ou explosão. O oxigénio forma compostos com todos os gases, excepto com os gases nobres. Mas isso é senso comum.
Impressionante talvez seria se eu explicasse o que é o argónio
Poderia dizer que o seu peso atómico é de 39,948 e introduzir uma breve síntese da sua história dizendo que a palavra deriva do grego argos. O Sr.Cavendish, em 1785, suspeitou da sua existência mas de facto, foi descoberto por Lord Rayleigh e Sir William Ramsay em 1894. Sabemos que a atmosfera terrestre contém 0,94% de argónio. Em Marte, 1,6% de 40Ar e 5 ppm de 36Ar.
Se quisesse maçar-vos com as suas propriedades, diria que tanto o gás quanto o líquido são incolores e inodoros. Tem solubilidade em água similar à do oxigénio e cerca de 2,5 vezes a do nitrogénio. É um elemento inerte, não forma compostos.
A seguir dar-vos-ia exemplos de algumas da suas aplicações, nomeadamente:

- Enchimento de lâmpadas incandescentes, para evitar a corrosão do filamento de tungsténio. Também em algumas válvulas eletrónicas e contadores Geiger.

- Gás protector para soldas (evita oxidação e reduz emissão de fumos).,

- Gás para corte com plasma.

- Na produção de metais reactivos, para evitar contacto do metal líquido com a atmosfera.

- Atmosfera protectora para o crescimento de cristais de silício e de germânio.

Mas giro, giro era eu, uma comum ignorante falar-vos do topo da minha sapiência de pacote da fuzzy logic, ou seja, da lógica difusa e explicar-vos que desde que Aristóteles estabeleceu um conjunto de regras rígidas para que conclusões pudessem ser aceitas logicamente válidas a lógica Ocidental, assim chamada, tem sido binária, isto é, uma declaração é falsa ou verdadeira, não podendo ser ao mesmo tempo parcialmente verdadeira e parcialmente falsa. Esta suposição e a lei da não contradição, que coloca que "U e não U" cobrem todas as possibilidades, formam a base do pensamento lógico Ocidental. A Lógica Difusa (Fuzzy Logic) viola estas suposições. O conceito de dualidade, estabelecendo que algo pode e deve coexistir com o seu oposto, faz a lógica difusa parecer natural, até mesmo inevitável. A lógica de Aristóteles trata com valores "verdade" das afirmações, classificando-as como verdadeiras ou falsas. Não obstante, muitas das experiências humanas não podem ser classificadas simplesmente como verdadeiras ou falsas, sim ou não, branco ou preto. Por exemplo, é aquele homem alto ou baixo? A taxa de risco para aquele empreendimento é grande ou pequena? Um sim ou um não como resposta a estas questões é, na maioria das vezes, incompleta. Na verdade, entre a certeza de ser e a certeza de não ser, existem infinitos graus de incerteza. Esta imperfeição intrínseca à informação representada numa linguagem natural, tem sido tratada matematicamente no passado com o uso da teoria das probabilidades. Contudo, a Lógica Difusa, com base na teoria dos Conjuntos Nebulosos (Fuzzy Set), tem-se mostrado mais adequada para tratar imperfeições da informação do que a teoria das probabilidades. De forma mais objectiva e preliminar, podemos definir Lógica Difusa como sendo uma ferramenta capaz de capturar informações vagas, em geral descritas em uma linguagem natural e convertê-las para um formato numérico, de fácil manipulação pelos computadores de hoje em dia. Considere a seguinte afirmativa: Se o tempo de um investimento é longo e o sistema financeiro tem sido não muito estável, então a taxa de risco do investimento é muito alta. Os termos "longo", "não muito estável" e "muito alta" trazem consigo informações vagas. A extracção (representação) destas informações vagas dá-se através do uso de conjuntos nebulosos. Devido a esta propriedade e a capacidade de realizar inferências, a Lógica Difusa tem encontrado grandes aplicações nas seguintes áreas: Sistemas Especialistas; Computação com Palavras; Raciocínio Aproximado; Linguagem Natural; Controle de Processos; Robótica; Modelamento de Sistemas Parcialmente Abertos; Reconhecimento de Padrões; Processos de Tomada de Decisão (decision making).
A Lógica Difusa ou Lógica Nebulosa, também pode ser definida , como a lógica que suporta os modos de raciocínio que são aproximados, ao invés de exactos, como estamos naturalmente acostumados a trabalhar. Ela está baseada na teoria dos conjuntos nebulosos e difere dos sistemas lógicos tradicionais em suas características e detalhes.
Nesta lógica, o raciocínio exacto corresponde a um caso limite do raciocínio aproximado, sendo interpretado como um processo de composição nebulosa.
A lógica em questão foi desenvolvida por Lofti A. Zadeh da Universidade da Califórnia em Berkeley na década de 60 e combina lógica multivalorada, teoria probabilística, inteligência artificial e redes neurais para que possa representar o pensamento humano, ou seja, ligar a linguística e a inteligência humana, pois muitos conceitos são melhores definidos por palavras do que pela matemática.
O valor verdade de uma proposição pode ser um subconjunto nebuloso de qualquer conjunto parcialmente ordenado, ao contrário dos sistemas lógicos binários, onde o valor verdade só pode assumir 2 valores : verdadeiro (1) ou falso (0).
E poderia agora falar-vos dos conjuntos nebulosos e do controlo nebuloso...mas não tenho paciência para mais copy/paste.
No fundo, no fundo, o que eu queria dizer era que podemos deixar de ser realmente ignorantes se quisermos, ou então viver da aparência se tivermos como objectivo não sair de casa.
E queria desejar também um boa Páscoa a todos!

terça-feira, março 22, 2005

Faça-se música!!!!

Literalmente! Porque eu não sou capaz.

Faça-se música!!!!

GLASTONBURY SONG

I dreamed myself from the sultry plains
to the old green square back in old Maybole
Rode the wind up to Stornaway
paused at the peak, pacified my soul
Caught the bus at the faery fort
made it to the mansion on the Boyne
see I come around to the ancient ways
I took a tip from the Buddha Boy

I just found God
I just found God
I just found God
where He always was

We came down from the Hill of Dreams
Bernadette, Mother Earth and you and me
through Carraroe, down the wildwood side
blinding out eyes in the shallow seas
Drank fire with the King of the Blues,
plugged in to the Medicine Way
took a long last look at Crazy Horse
push now for a golden age

I just found God
I just found God
I just found God
where He always was

I found myself on the roof of the world
just waiting for to get my wings
strange Angel in the changing light
said Brother you forgot something!
My heart beat from the inside out
so lucky just to be alive
can you tell what I'm talking about?
any day now the Sun's gonna rise

I just found God
I just found God
I just found God
where He always was

There is a Green Hill far away
I'm going back there one fine day.

( Waterboys- Dream Harder- 1993)

Nota: Se encontrar a música ponho a tocar...se não encontrar não ponho.

segunda-feira, março 21, 2005

Tenho tido...

...mais que fazer.

terça-feira, março 15, 2005

Diálogo

Mãe: Tangerina, tens a certeza que o pessoal vai gostar de comida chineza?
Tangerina: e depois??? Afinal quem é a aniversariante?

(o bolo não dizia parabéns, era maizomenos assim...)


A Tangerina

Pause


Linda R. Herzog 2004. Evening Escapade. Gelada baboon on zebra.

A correr
tra-la'-la'
a saltar
tra-la'-la'
O cavalo nao saia do lugar
tra-la'-la'.

Que e' como quem diz, "volto ja' para um fast-rewind".

quinta-feira, março 10, 2005

" A bifana era uma velha"

Até podia ser, de facto. Efeitos de alguma novela brasileira que passava à altura. Mas o que ninguém nega, é que a bifana é, e cito:
"uma coisa gordurosa e de porco" . Se tiverem curiosidade, podem ouvir como é o processo que origina a bifana.

Existe também a questão bastante profunda da febra e da fêvera. Mas aquietem-se espíritos inquiridores. Poderão saber tudo aqui.

Do que eu tenho a certeza quase absoluta, é que se a bifana era uma velha, uma febra é uma rapariga a quem os técnicos da construção civil pedem agrados.

Sendo assim:

Uma Bifana



Uma Febra



Mas não era disto que se falava, pois não?

A bifana: origem e mitos urbanos, ou seja, bifanas ha' muitas!


Bifana com sardinha a cavalo - variacao desagradavel do que poderia ser uma coisa boa. Nunca vi tal, so' na internet.

Lena, a 4 de Marco de 2005, propoe:

"Sócia:
por acaso costumo almoçar sempre uma bifana às sextas-feiras, ali no café da esquina. Excepto quando estou em Lx. Em Lx ainda não há bifanas. É muito chato. Há algumas pessoas que afiançam que há bifanas em Lx. Essas pessoas não percebem nada e mereciam que se lhes cortasse a língua para que depois de estufada e dada a provar, pudessem dela pensar: A minha língua sabe mesmo a bifana de Lisboa.
A "bifana-de-Lx" nunca passou, na verdade, de uma fêvera cheia de letra.
Por outro lado, para a bifana do Porto, não há palavras. Pela razão que nenhuma palavra é tão boa como ela. Nenhuma lhe chega aos pés. Pensando bem, nem mesmo a palavra bifana."

Ora, eu nao quero ser o advogado do diabo da bifana de Lisboa, mas bifanas ha' muitas. Eu nunca comi uma bifana igual a outra. E isso talvez seja um problema. Dai talvez, de facto, nao se poder falar da "bifana-de-Lisboa", porque e' sempre uma surpresa. O que nunca e' surpresa, em parte alguma do mundo, e' que tera' de ser uma coisa gordurosa e de porco (no entanto... ler o final do post). Tenho muita vontade de provar a bifana-do-Porto, ja' que cortar a minha lingua, estufa-la e mete-la no pao nao e' boa ideia - eu nao como vaca, em principio.

Mas qual sera' a verdadeira bifana, a bifana primeva? Na verdade, a bifana primordial nao era de porco, nem do Porto. Gordurosa ou nao, e' informacao perdida nas cambalhotas da historia. O que nos diz o Portal da Familia sobre as origens da bifana?

"A Bifana
A palavra epifania, usada também como nome de mulher, deu origem a uma corruptela dialetal do sul da Itália, levada depois a Portugal e Espanha, a Bifana. A Bifana, segundo a lenda, era uma velha que, no dia de Reis, saía pelas ruas da cidades a entregar presentes aos meninos que tivessem sido bons durante o ano que findara. Estava intimamente ligada às tradições dos povos mediterranicos* e mais próxima do significado litúrgico das festas natalícias."

A Bifana era uma velha. Esta' lançada a polemica.


* o italico e' meu, e' uma correcçao. Nao sei o que sao povos mediterraneos. Nao sei e nao gosto, mas posso estar enganada.

quarta-feira, março 09, 2005

1,2,3, testing....again!

You are Irish
You are a Dubliner.


What's your Inner European?
brought to you by Quizilla

1,2,3, testing...

modbrits
You are a Mod. Yeah baby.


What kind of Sixties Person are you?
brought to you by Quizilla

Oh, Francine, tu precisas de sair mais! A Koko e' uma doidona, uma fetichista de mamilos.

"Koko, you see my nipples all the time. You are probably bored with my nipples. You need to see new nipples."

[Alegadamente dito por Francine Patterson, treinadora do gorila femea Koko e presidente da Gorilla Foundation, sediada perto de Sao Francisco. Duas trabalhadoras queixam-se que foram despedidas depois de terem recusado mostrar os seus seios 'a Koko. O caso esta' em tribunal. (AP, 18 de fevereiro, in New Scientist de 26 de Fevereiro de 2005) Ler mais aqui.]

Eu acho que a Koko e' que deveria ser a principal arguida neste caso, por assedio sexual inter-especie. Chauvinista da pior especie essa Koko! Este senhor tambem nao lhe fica atras:

"Feel free to call me crazy, but I think this proves humans and gorillas aren’t so different after all. They like boobs; I like boobs. They get tired of some boobs and want to see new ones. Sounds pretty human to me."

terça-feira, março 08, 2005

Flores não....

...mas ali no Saldanha estavam a dar latas de sopa Allento.

Mátria


Natália Correia (1923-1993), por exemplo.

Tambem nao quero que me dêem rosas hoje.

R-E-S-P-E-C-T
guess what it means to me

Eu tambem quero brincar aos penis*

Your Penis Name is: Darth Vader




O meu penis e' mauzao, o Senhor das Trevas, fiquei a saber. Tem 2,02 metros de altura e luta com um sabre de luz. No fundo, e' um incompreendido. Escravatura juvenil e traiçoes mal cicatrizadas...O que e' que que queriam?

*Ja' ha' um Elvis, uma Anaconda e um El Presidente. [Actualizacao: Tambem ha' um Ivan the Terrible e um Bold Avenger e muitos mais devem andar por ai.]

Isto quer dizer o quê? Que é pequenino mas brincalhão?

Your Penis Name is: Elvis





Nota: Pedido emprestado aqui. Que por sua vez parece que também foi pedido emprestado aqui. And so on, ando so on,...

segunda-feira, março 07, 2005

O que se me oferece dizer acerca da programação televisiva do fim-de-semana

Vi o Top40 dos piores vídeos musicais de sempre. Delicioso!

O Vencedor
Com um desses singles que agora já não me lembra qual.

sexta-feira, março 04, 2005

Segundo ano de blogovida?

Menos economia, mas, ainda assim, uma grande elegancia de palavras e grandes verdades, debaixo das quais assino

- "You don't realise what an emotive issue pigeons are in England" - diz o jornalista do The Guardian, a proposito da polemica em torno da tal cena de 2 segundos, em que um gato salta para cima de um pombo servio morto, cena tao perturbadora como um episodio dos Teletubbies.
- "I am not cutting my film for this jerk," he insists. "Was he brought up by pigeons or something? I love Ken Loach and your football and your working class, but I do not believe the great English culture is going to be undermined by one eastern European cat. - replica, graciosamente, Kusturika. E Kusturika continua:

- "I just don't get it. The pigeon was already dead, we found it in the road. And no other censor has objected. What is the problem with you English? You killed millions of Indians and Africans, and yet you go nuts about the circumstances of the death of a single Serbian pigeon. I am touched you hold the lives of Serbian birds so dear, but you are crazy. I will never understand how your minds work."
Maria das Flores

Economia e elegancia de palavras

"I will not cut my film because, because, because ... because of the Wonderful Wizard of Oz."

(argumento utilizado por Emir Kusturika, a proposito da censura britanica ao seu ultimo filme "Life Is a Miracle")

Só coisas que me amofinam

Há pouco ouvi uma spot radiofónico que rezava mais ou menos assim:
"- Manel, chega-te para lá que estou quase a cair da cama.
- Hmmmmmmm....
- Manel!!!
- Porque é que tenho que ser sempre eu?
- Porque o Luís está ferrado a dormir.
......"
Agora eu pergunto. Como é que estes seres estão deitados na cama?

HIP a)
Se estão rapariga, Manel, Luís, deitados, por esta ordem, duas hipóteses há a considerar
a.1) o Manel gosta de dormir à larga e terá espaço para se desviar de forma a impedir que a rapariga caia de facto da cama. Nesse caso, para quê acordar o Luís como parece sugerir o Manel?
a.2) o Manel foi empurrado pelo Luís. Nesse caso o melhor será acordar o Luís. Mas a coisa parece resolver-se acordando apenas o Manel. Logo esta hipótese também não parece viável.

HIP b) Rapariga, Luís, Manel
Esta hipótese parece ser menos credível, uma vez que estando o Luís ao lado da rapariga, seria normal que esta acordasse o Luís primeiro. Mas se de facto ele estivesse mesmo, mesmo ferrado e considerando as hipóteses mencionadas em a.1 e a.2 mas invertendo os sujeitos, o facto de acordar o Manel não resolveria a situação de forma alguma.

HIP c) Luís, rapariga, Manel ou Manel, rapariga, Luís

Neste caso a rapariga estaria entre os dois, como poderia ela cair da cama?

...

Depois de pensar bem e muito, chego à conclusão que a rapariga acordou o Manel, porque estava com insónia e queria alguém para conversar e como o Luís parece ter o sono pesado a vítima foi o Manel.

Isto é uma curva de Gauss.


Isto é uma curva de Poisson


Não fazem ideia das dores de cabeça que estas duas me têem dado.

Parece que sim, parece que sim.

Será que isto já publica, blogger do demónio?

quinta-feira, março 03, 2005

Praga digna desse nome é assim....e mai'nada!!

terça-feira, março 01, 2005

KT



Via Pedro, descubro uma forma original de fazer music review. A revista escocesa Is This Music classifica os albuns da seguinte forma:
????? buy
???? steal
??? download
?? snooze
? run away

Ora, a KT...Primeiro roubei o CD a uma amiga. Depois, a seguir a um ataque de possessividade, comprei-o. De seguida, greedy, comprei um bilhete (dois!) para o concerto (e isso significa, nota ?????? 'go to a concert immediatly!'). Agora, depois de ter ouvido o CD ate' ao enjoo e de nao conseguir - injustamente, sinto - dar-lhe mais do que nota ?? ('passar pelas brasas'), espero que o concerto de amanha nao seja uma replica fidedigna do album - que, se eu me desloco a um concerto, e' para ser surpreendida -, se nao e' uma chatice ter de fugir dali como o diabo da cruz (nota ?). Pressinto, no entanto, que amanha terei oportunidade de dar 'a KT nota ??????? ('iniciar uma seita-culto em torno da figura de KT e erigir-lhe um altar com sacrificios pecuniarios sazonais'). Expectante.

Heal Over (esta melodia dor de corno continua, ainda assim, com nota ????, i.e., extremamente roubavel)

It isn't very difficult to see why
You are the way you are
Doesn't take a genius to realise
That sometimes life is hard
It's gonna take time
But you'll just have to wait
You're gonna be fine
But in the meantime

Come over here lady
Let me wipe your tears away
Come a little nearer baby
Coz you'll heal over
Heal over
heal over someday
(...)

(KT Tunstall 2004, in Eye to the Telescope)