Conversa na Travessa

terça-feira, agosto 31, 2004

Ah!

Dr. x: "Não sei se já conhece a Drª Tangerina. Tangerina, é o Dr.z"
Tangerina: "prazer, Tangerina"
Dr. z.:"Ah! Já tinha ouvido falar muito de si, é a Terapeuta Sexual, não é?!?"
Tangerina:"na verdade sou psicóloga clínica com formação em terapia sexual..."
Dr.z:"Ah! Então a Tangerina é que é a Terapeuta Sexual... "

Tangerina abandona a conversa...
(ando a gostar destes diálogos fantásticos no meu novo emprego)

É tão lindo o amor nos verdes anos!!

Aquele estágio em que só a amizade já sabe a pouco. Em que existe a necessidade de tocar muito, mas ao de leve. Aquelas poeiras microscópicas que se tiram do rosto um do outro, como pretexto para um olhar mais demorado. Aquele mundo tão privado que não deixa entrar mais nada, nem ninguém. E as risadinhas constantes,...

Autor: Tenini

quinta-feira, agosto 26, 2004

"Valsa quase antidepressiva"

Dança comigo a primeira valsa da Primavera: Dança sem sonhos, esquece as promessas, ninguém nos espera. Já enchi os dias de lutas vazias: Estou gasto, cansado, dormente. E a um pouco de sexo, ou muita poesia, ainda não fico indiferente. Fala comigo na palavra falsa da fantasia: Chovem amigos na praça da festa do meio dia. É certo que as flores parecem maiores que toda a virtude do mundo: Com um pouco de sexo, ou muita poesia, ainda me sinto profundo.Se este mundo fosse feito para ser doce eu seria doce fosse eu quem fosse. Foge comigo na última volta da maratona, nada comigo num lago indeciso de metadona. Já deixei as asas na cave da casa e as chaves no fundo do mar: Com um pouco de sexo, ou muita poesia, ainda nos vamos casar.

Quinteto Tati

A pedido de muitas famílias!

As meninas estão a ver estas sandalocas?

Boa! Decerto que a algumas de vocês acontece atarem-nas muito bem à perna e depois ao fim de um pouco a andar a coisa fica assim:

Pois acontece! O conselho da tia Paula é o seguinte. Não atem este tipo de sandálias sentadas. Faça-no de pé e ajustem bem as fitas mas de forma confortável. Experimentai e depois digam qualquer coisa. Boa? Boa!

Sugestão fim de Verão!!!

Moscatel Tónico ( Não me façam essas caras!!! leiam, provem e depois conversamos.)

Num copo alto, botai 2 ou 3 dedos de moscatel de Favaios e 4 ou 5 pedras de gelo. Enchei o copo com água tónica. Prantem-lhe 1 folha de hortelã fresca e uma uva moscatel fresca ou de conserva ( A uva é p'ro style. Se não tiverem não faz mal.)
Depois só precisam de uma cadeira relaxante e uma vista deslumbrante. Está feito!!

Em conformidade com o que estava previsto...

...prosseguimos a nossa emissão! A falha técnica é-nos completamente alheia, assim como nós a ela. Não lhe ligamos nenhuma!

Serviço de utilidade pública: Constou-me à pouco que a partir deste domingo a licença de parto passará a ser de 5 meses, devendo para o efeito ser observado um prazo de comunicação à entidade patronal de 7 dias após o nascimento. Mais coisa menos coisa.

Recado: Maria: Presumo que nesse ambiente de monkey lover's o melhor é nunca acusares o macaco. Cinge-te ao mordono. Assim como assim, já está habituado. Vai à merda! ( A expressão adequa-se porque a coisa envolve palco e assim.)

quarta-feira, agosto 25, 2004

Fotoblog

...ou vão TODOS ver o Bolito.
Já aqui referi o Bolito e o seu sentido estético.
Agora ele tem um fotoblog.

Vão vê-lo!


A Tangerina

Ainda dizem mal das revistas cor-de-rosa...

...especialmente da Flash, é porque não sabe da colecção de DVD's especialmente o que saiu esta semana...



A Tangerina

Tens razão! É o Pisto!

Pisto

Ingredientes:

Beringelas
Tomates
Courgetes
Pimentos
Cebolas
Azeite ou manteiga
(proporções a gosto)


Preparação:

Ponha a cebola em pedaços médios e o pimento cortado em quadrados pequenos a refogar no azeite quente. Quando estiverem quase prontos, junte as courgetes e as beringelas em cubos.

Quando estiver macio, adicione o tomate pelado e picado e deixe reduzir até que fique frito e nessa altura ponha sal.
E aqui está uma apresentação possível para o Pisto.

Nota: Segundo pesquisas muito profundas, o pisto é um acompanhamento de legumes, que poderá acompanhar um ovito estrelado ou escalfado que faz menos mal, uns filetes ou assim qualquer coisa ligeira. Este prato é originário do país vizinho.
Podeis ver outra variante aqui.

terça-feira, agosto 24, 2004

aqui o Bekx

Voltou de férias!
E para além de dar um especial colorido gastronómico,fazendo uma lista de todos os locais onde comeu e bebeu bem, falou há tempos de um petisco de queijos.

Será que ele ainda se recorda?!?

(fica aqui uma imagem, pode ser que lhe avive a memória)

A Tangerina

Olá, bom dia!

Continuo farta disto tudo!
Compra-se epifania nova ou em estado novo, útil e reveladora como lhe compete.

segunda-feira, agosto 23, 2004

Francis Obikwelu



Já o tinha visto correr há uns dois anos numa prova na Covilhã, e na altura pensei "este cidadão português, correr que se farta" e ontem vencemos o poder USA! :-)

Não conhecia a história do Obikwelu, mas hoje estive com atenção a ler os jornais desportivos e sem dúvida que este moçoilo merece toda a atenção e apoio dos portugueses. Chegou a Portugal aos 16 anos e para ter mais condições para se apurar no que gostava de fazer - correr- trabalhou nas obras e nunca sentiu vergonha do seu passado mais humilde.
Admiro pessoas assim.

A Tangerina

sexta-feira, agosto 20, 2004

Os baboons são fixolas



não são Maria?

A Tangerina a delirar com os rabos sexys destes fulanos!

Yo (djo) tambien vuelvo al sur

Nao sao ferias ainda, nao, nao, meus senhores. Mas e' verdade que volto ao Sul,"con mi deseo, con mi temor", para um sitio em que alguns milhares de hominideos se reunem para discutir se a culpa e' do macaco: "The monkeys launch "organised attacks which last several hours", targeting "bakeries and grocery stores"." Bonito! Mas-porem-todavia-contudo-no-entanto, se as autoridades sudanesas estao mais preocupadas com isso do que com o genocidio (barbaro) que tem (plural) em maos, a culpa nao sera' do macaco. Causa-me muita aflicao.

Voltando ao Sul...

Com certeza que concordarao comigo se vos disser que ha' coisas que so' podem ser cantadas numa lingua romanica. Coisas como, sei la', o "Vuelvo al Sur". A prova provada disso esta' aqui. E aqui, na versao original (OST de "Sur"), na voz embriagada e charutada (so' pode!) de Roberto Goyeneche:



Music by: Astor Piazzolla
Lyrics by: Fernando E. Solanas

Vuelvo al Sur,
como se vuelve siempre al amor,
vuelvo a vos,
con mi deseo, con mi temor.
Llevo el Sur,
como un destino del corazon,
soy del Sur,
como los aires del bandoneon.

Sueño el Sur,
inmensa luna, cielo al reves,
busco el Sur,
el tiempo abierto, y su despues.

Quiero al Sur,
su buena gente, su dignidad,
siento el Sur,
como tu cuerpo en la intimidad.

Te quiero Sur,
Sur, te quiero.

Vuelvo al Sur,
como se vuelve siempre al amor,
vuelvo a vos,
con mi deseo, con mi temor.

Quiero al Sur,
su buena gente, su dignidad,
siento el Sur,
como tu cuerpo en la intimidad.
Vuelvo al Sur,
llevo el Sur,
te quiero Sur,
te quiero Sur...


E, agora sim, a interrupcao da emissao continua. No Sul.

quinta-feira, agosto 19, 2004

Quem não sabe...

...fica a saber que eu ADORO Desenhos Animados.

A minha última aquisição do panorama televisivo foi o Chin Chan.

Vejam aqui todo o enredo desta série, e descubram o porquê de eu estar víciada na SIC.



A Tangerina

quarta-feira, agosto 18, 2004

Bis



A Tangerina

segunda-feira, agosto 16, 2004

Interrupcao da interrupcao para: 1 coisa linda; 1 coisa bizarra



A coisa linda: a foto das nadadoras na primeira pagina do The Guardian de hoje.

A coisa bizarra: "The most bizarre failure at the pool came earlier when Sarah Price cut her leg on a TV camera during her warm-up for the 100 metres backstroke semi-final. An appeal for the race to be postponed was rejected and she finished last."

domingo, agosto 15, 2004

se o amor é verde...

...a amizade é cor de laranja!

Conheci esta amiga de que vos vou falar, através do melhor amigo do meu ex-namorado. Fui convidada por ela, ainda sem me conhecer in locu, para um fim de semana em Braga na quinta de uns familiares.
Recebo um belo dia, um e-mail, tímidamente escrito, tal como ela também o é, que dizia qualquer coisa do género:
"gostava de te convidar a ti e ao X (o tal ex) para um fim de semana na Quinta da minha família em Braga"


Pareceu-me simpático o convite e após conversar com o falecido, ele achou uma boa idéia, uma vez que sempre tive alguma queda para relacionamentos de longa distância. Assim seria uma mais valia, conhecer Braga e estar com o X.
Pois, mas como diz a minha avó, de boas intenções está o inferno cheio, e o fim de semana em Braga ficou em águas de bacalhau, após a partida para o outro mundo do tal fulano.

Acabei por saber que a amiga que vos vou falar, namorava com o tal amigo do meu falecido, e que também ela tinha vindo da vindima de mãos a abanar. Tinhamos sido trocadas por moçoilas casadoiras, a rebentar de hormonas desejosas de terem filhos.

O impacto foi assim complicado de superar, mas nada que umas valentes férias de copos, praia e gajos giros, não fizesse arrebitar as hostes e melhorar o humor.
Assim começou a minha saga de amizade com a Sandrita.

Como já vos disse, sou muito dada a relacionamentos de longo curso, este não é excepção. A Sandrita vive em Lamego e eu por terras vizinhas da grande Lisboa.
Este fim de semana, após longo tempo de reclusão de amizade, conseguimos ter um fim de semana todo para nós e alimentamos a sede que os kms por vezes nos dão de sofredo de saudade, de sensação de vazio por por vezes não estares mais aqui, assim pelo menos a metade dos múltiplos kilómetros que me separam de ti!

Por vezes é bom dizer a bom tom que gostamos uns dos outros, e eu gosto muito de ti!
Bibis muito especiais,


A Tangerina

Pedimos desculpa pela emissão.

A interrupção segue dentro de momentos.


sexta-feira, agosto 13, 2004

Ai, graças a Zeus, graças a Zeus!

Graças a Zeus que nao tenho de gramar com a invasao helenica (15, 20 invasores) que ira' decorrer hoje, ao final da tarde, em minha casa. Quinze, vinte invasores helenicos irao prostrar-se em frente ao meu televisor, para a cerimonia de abertura dos Jogos Olimpicos, entupindo-se de queijo feta, azeitonas kalamata, baklavas e merdices boas do genero, gritando improperios, dos quais so' conheco "malaka!"
Graças a Zeus e a outros gaijos do Olimpo, que nao vou ter de ser humilhada pela enesima vez por Portugal jogar melhor ao ataque do que 'a defesa e que isso e' pouco (dizem "eles"). Graças a Zeus, a outros gajos e gajas do Olimpo, e a uma caridosa mae cipriota, que nao vou ter de aturar aqueles rufias e vou ter direito a muito mais do que a uns simples snacks gregos...Vou ter direito a uma refeicao cipriota-grega completa e nutritiva.

Meu bom Zeus, logo que possa, logo que tenha tempo, logo que consiga arranjar a encomenda, envio-te uma virgem para o sacrificio.

Graças a Zeus que sou pagã.

[Eu percebo", eu percebo"...E, nao so', mas tambem, nao so', como tambem por causa das coisas e porque nao quero que os meninos briguem dessa maneira, que ja' nao ha' betadine que chegue para por nos joelhos esfolados, eu tambem percebo", eu tambem percebo"...a Elizabeth Shue, pois.]

Do que eu precisava mesmo, mesmo, faxavor:


The Lazy Monkey"

1. de um bloqueador do meu gene D2, para assim a dopamina nao ter como se “agarrar”, para assim deixar de procrastinar("Procrastinating monkeys were turned into workaholics using a gene treatment to block a key brain compound, U.S. researchers reported on Wednesday.", via BdE")

2. de um inibidor de interleukin-6 (IL-6); IL-6 sao moleculas que "dizem" que o corpo esta' cansado, antes mesmo de os musculos estarem de facto exaustos (putadevida, que nao consigo fazer um "direct link" para o meu post de Quinta-feira, Julho 29, 2004, a proposito de um artigo que saiu no The Independent"

Ja' consegui bloquear, temporariamente, o meu gene D2. De qualquer forma, queria um cocktail de 1. e 2., em capsulas de preferencia, faxavor! Supositorios, nao. Obrigada.

Ha' uma miuda com uma grande pinta todos os dias que faz anos hoje

Parabens, Jolina"!

Olha, ofereco-te isto, que ainda nao ouvi...

By Yen Sung

...e uma destas...


...mas ja' sabes que o Van Bangla...enfim.

[Resolvi postar o draft da Comadre Paula, sem esperar pela sua autorizacao, mas acho que ela nao se importa. Ela anda pelos locais de jogo clandestino, por tras de uns montes, e nao pode vir 'a Travessa.]

Esta menina faz anos hoje!

Portanto, parabéns!!



quinta-feira, agosto 12, 2004

Stepford wives (II)


Imagem gentilmente roubada de "This blog sits at the intersection of Anthropology & Economy"

Haveria tanto, mas tanto para dizer, mas tenho de ir ali abaixo andar 'a batatada com o meu colega. Mentira. Tenho de ir fazer o almoco.

Copiado e colado (de Grant):

"(...)In a feminist era, women have power and they exercise it in the world. Hollywood has hustled to catch up by giving us portrayals of powerful women on the screen. We have had some good performances (Sigourney Weaver in Alien, for instance and Holly Hunter in anything) but more often we have bad ones. Women on cop shows are especially bad at assuming the symbolism of power.

(...) It’s that power has traditionally been a male idiom. Most women have not grown up with the opportunity to watch older women with power. Generally speaking, they have been obliged to learn the symbolism of power from men. [Acho este paragrafo particularmente interessante, nomeadamente a frase "A maioria das mulheres nao cresceram com a oportunidade para observar mulheres mais velhas com poder.]

(...)The problem is a necessary one, call it the problem of cultural proximity. The farther we are from a social type, the more crudely we imitate it. Here, the problem of cultural proximity means that women end up imitating men who are in effect imitating other men. It is not very surprising that they are unconvincing. They are at two removes from the real performance, doing a bad imitation of a bad imitation, as it were. (To be fair, some may be doing a good imitation of a bad imitation, but the original “signal” is still corrupted.) (...)"

quarta-feira, agosto 11, 2004

Adenda

Talvez explore os locais de jogo clandestino. É uma emoção fugir a uma rusga da GNR!

É hoje!

Hoje às 18.30 h começam as minhas férias. Preciso sair daqui urgentemente! E a urgência é tão maior quanto a proximidade da hora H. Sinto-me sufocar. Mas morrer agora era morrer na praia. Portanto é melhor estar quietinha. Preciso de estupidificar numa terreola onde a maior emoção é sair para ir ao Intermarchè. Onde as noites são sempre iguais e os dias também. Preciso emburrecer! É um acto de higiene mental.
Portanto, até à vista!

Stepford Wives


in Dollsoup

[Vou apelar 'a minha memoria e trancrever um excerto do Stepford Wives, que vi ontem. Dialogo possivelmente reinventado involuntariamente, portanto.]

Numa festa, conversa entre marido e mulher:
Marido nao emancipado (Jon Lovitz): - Have you washed the dishes?
Mulher escritora (Bette Midler): - No. And you?
Marido nao emancipado: - And the clothes? Have you finished the clothes?
Mulher escritora: - No. I finished a chapter.
Marido nao emancipado: - Where are the kids?
Mulher escritora: - Which kids?
Marido nao emancipado: - YOUR kids.


"Flat uninspired remake sucks the life out of the suspense", comentou alguem. Bom, o filme tinha imenso potencial, tinha, mas acaba por ser um nadica bera. Tem um elenco (que dizer da Bette Midler, essa versao "caucasiana judia" da Whoopi Goldberg, e da Glenn Close?) e cenografias brilhantes e alguns dialogos bem conseguidos, mas o resultado final fica bastante aquem.

Nunca fui 'a queima do soutien (ao preco a que eles estao, por dEUS!). Nao obstante, eu tinha muito mais para dizer sobre o meu terror 'a/ao patriarcalidade/patriarcalismo, mas acho que a rititi ja' disse quase tudo o que eu queria dizer e da forma que eu gostaria de o dizer. Ha' quem imprima a rititi e leve para a praia. Ide tambem vos, ide!

Extractos :

"(...) Enfim, sinais dos tempos, troca-se o romantismo do soutien queimado pela esfrega da mama de silicone, que as minhas amigas bem podem ser fufas mas de estética sabem muito. (...)"

"(...) Que uma gaja estude e trabalhe, pague impostos como um homem e mude o óleo ao carro com as próprias mãos sem medo ao estrago da manicura, que fale em público vestida de gente séria e exerça por esse mundo fora de directora geral é uma coisa, que para isso foram escritas a Constituição e as leis penais, mas no mundo privado, de portas para dentro, a cantiga é bem diferente. E isso as minhas amigas fufas não percebem, não atingem que dentro de casa a mulher trabalhadeira se transforme nessa esposa perfeita, jantar pronto e os meninos com banho tomado e na cama depois do tele-jornal e conta lá meu amor, como correu a reunião com os camionistas, espera só que arrume a cozinha, estenda a roupa e deixe um recado à mulher-a-dias, queres um conhaque enquanto vês o resumo dos melhores golos da liga sueca? (...)"

E ainda:
"(...)Fodido, este Portugal, em que as próprias mulheres se defendem frente aos avanços dos tempos com a desculpa desse role que no fundo lhes incomoda, mas que lhes assegura queca semanal e reconhecimento social, que é o que importa, senhora de e sem apelido de solteira. (...)"

Juro que estava a pensar nisto ontem 'a noite, phodida da vida. Com soutien. MdF




Remake das Stepford Wives


As Stepford Wives originais (in Dollsoup )

terça-feira, agosto 10, 2004

Está quase...







Alijó aí vou eu!!

"Em calhando", vou deixar de comprar agua engarrafada

" (...) a Environment Agency do Reino Unido constatou que a água potável que os britânicos andam a beber contém pequenas quantidades de Prozac, a famosa droga antidepressiva. Aparentemente, isso deve-se ao facto de o consumo da droga estar a aumentar de forma acentuada e de os seus utilizadores excretarem parte do medicamento sem este ser metabolizado. Essas moléculas vão dar aos esgotos e, depois de passarem pelas estações de tratamento, tornam a entrar no sistema hídrico, a partir de onde reentram no sistema de recolha e distribuição de água a domicílio, para chegar às torneiras. O tratamento dos esgotos deveria eliminar todos os resíduos de Prozac, mas não é isso que acontece. " ("Beba Mais Um Copo", no Publico de hoje)

Isto e' que e' jornalismo de qualidade:
"(...) Os democratas liberais dizem que se trata de uma "administração maciça e encoberta de medicamentos" à população e os ambientalistas também entraram em histeria (sinal de que não estarão a beber água suficiente) (...)" (ainda em "Beba Mais Um Copo", no Publico de hoje)

"How many fond fools serve mad jealousy." (para ser lido com o sotaque de Sua Magestade, a Sadona Elizabete numero 2)


CSF 2004

" The beautiful and idyllic surroundings of the Fellows' Gardens of King's College provides the ideal setting for Shakespeare's fast-paced comedy of mistaken identity. Antipholus and his companion, Dromio, find themselves on an unknown island, where their twins, who they believed were lost at sea many years earlier, now live. (...)" (CSF 2004, sobre The Comedy of Errors)

Dizem-me que A Comedia dos Erros e' entretenimento light, movido por coincidencias e farsa humoristica, e tudo se passa num so' dia. Depois dos "erros" serem explicados, parece que o amor e a felicidade triunfam no final. Ta' bem, pode ser. O meu cerebro em processo de definhamento e' capaz de aguentar uma coisita superficial. Othello esta semana e' que nao! Othello era um toto' e um triste, enfim, tragico. A Desdemona nao lhe ficava muito atras. Estava-se mesmo a ver que Iago era o mau-da-fita, manipulador ambicioso e mau por prazer. Trouxas!

Problema:
Thursday

Light Rain
High: 21° C
Low: 13° C

Neste momento:
Feels Like: 21 ° Dewpoint: 21º
Barometer: Unavailable Wind: S 10 kph
Humidity: 100% Sunrise: 5:35 am
Visibility: 999 km Sunset: 8:33 pm

Ref.:
Shakespeare, William. The Comedy of Errors. New York: Penguin Books, 1999.

segunda-feira, agosto 09, 2004

não..

...eu não fui de férias!
O meu Pc é que resolveu ir ao bilhar grande, mas já voltou (e eu também).

A Tangerina

"Eu acredito sempre em bruxas 'a Segunda-Feira." (MdF)

...Ou sentir-se Azande e encontrar algum consolo em coisas como Evans-Pritchard (Witchcraft explains unfortunate events) ou Daedalus.

Parabens, Francisco!

Dificuldade de expressao

1) Tempo (via Yahoo! Weather)

Rain
High: 22°C
Low: 15°C

More Current Conditions
Feels Like: 21° C Dewpoint: 18º
Barometer: Unavailable Wind: ESE 14 kph
Humidity: 83% Sunrise: 5:33 am
Visibility: 999 km Sunset: 8:35 pm

Today: Periods of rain. High 73F. Winds SSE at 10 to 15 mph. Chance of rain 90%. Rainfall around a quarter of an inch.

Tonight: Rain likely. Low 59F. Winds S at 5 to 10 mph. Chance of rain 90%. Rainfall around a quarter of an inch.

2) Politica

Steve Bell 2004. The race for the US Presidency.

3) Desporto

"Faster, stronger, higher"
"The Olympic games begin in Athens on Friday, bringing together 10,000 elite competitors from around the world - and a host of officials trying to catch drug cheats. But is it really so wrong for an athlete to use performance-enhancing substances? In a controversial essay, sports academic Lincoln Allison argues that those who strive to be the best should do so by any means necessary."


Sem mais assunto. Atentamente,

MdF

Reciclar



Re-utilize!
Para quando o mundo nos mostra coisas de que não gostamos!


in Sacos da Natura Selection PUB
(Citação de memória)

sexta-feira, agosto 06, 2004

"Agora ninguem discute." "Não há opiniões..."

...mesmo quando as ha'.

Devo comecar por dizer que o meu cortex cerebral se encontra desidratado, em virtude de mentes perfidas me terem obrigado a regar o jantar com carradas de vinho "Ole'" (com tampa de plastico e nao de cortica). Ninguem tinha de saber isto, claro, mas apeteceu-me partilhar isto convosco - que a vida nao esta' facil e que escrever se torna uma tarefa penosa e, quica' ("c" de cedila e acento agudo no "a"), inconsequente. Valera' a pena? Como tal, mas nao obstante, vou prosseguir, citando este e aquele como bem me aprover, ou conforme me seja possivel.

Acho imeeeeeensa piada quando se pede uma opiniao, uma opiniao e' dada, mas rapidamente a opiniao e' transformada em "nao-opiniao", ou "ataque pessoal", ou sei la. Se calhar nao me estou a fazer entender (merdinha para o vinho Ole' e o cortex!). Vou citar, entao: "e-se preso por ter cao e por nao ter" (vox populis). Parafraseando: e'-se preso por se ter opiniao e por nao a ter. Lembrei-me tambem, assim num repente, vindo directamente do sistema limbico (acho) que:
"Se fugir o bicho pega.
Se ficar o bicho come." (vox populis? Ney Matogrosso? Cidade de Deus?)

Ou seja, que as vezes parece que nao ha' volta a dar. O que e' confrangedor (constrangedor).

Relatava-me o sabio amigo de um gordo sabio, enquanto ambos louvavam os prazeres da discussao, que o gordo sabio se sai com esta: "Agora ninguém discute. Limitam-se a esperar pela sua vez de falar..." Sempre sábio, de facto, o gordo, amigo do sabio amigo. E, vai dai, o sabio amigo transcreve-me e manda-me esta bela fabula (ja' que Socrates e Parmenides nao sao menos animais do que os outros) de Borges:

"O Princípio

Dois Gregos estão a conversar: talvez Sócrates e Parménides. Convém que nunca saibamos os seus nomes; a história, assim, será mais misteriosa e mais tranquila.
O tema do diálogo é abstracto. Aludem por vezes a mitos, de que ambos descrêem.
As razões que alegam podem abundar em falácias e não chegam a um fim. Não polemizam. E não querem persuadir nem ser persuadidos, não pensam em ganhar ou em perder.
Estão de acordo apenas numa coisa; sabem que a discussão é o não impossível caminho para chegar a uma verdade.
Livres do mito e da metáfora, pensam ou tentam pensar.
Nunca saberemos os seus nomes.
Esta conversa entre dois desconhecidos num lugar da Grécia é o facto capital da História.
Esqueceram a oração e a magia." (JLB in "Atlas")

Este gajo (JLB) era um senhor. Genio. Bolas!

Moral da historia: recusai beber vinho com nome de interjeicao e com tampa de plastico (e nao de cortica). Sem polemica.

P.S. Ja' li "O Principio" 12 vezes. Amen.

Os coitados dos maridos subjugados por esposas tiranas- Desmistificação

Vamos lá pôr os pontos nos is. E isto à parte os casos verídicos, há por aí muita esposa com má fama de tirana, vítima de silêncios pouco reveladores e muito dúbios. Existem homens para quem é difícil explicar aos amigos que ir todas as sextas aos caracois, ou ir a um jogo de futebol de uma equipa que até não é a dele não é o programa que lhe apetece. Porque não lhe apetece e pronto! Mas em vez de dizerem isto directamente, dizem um " Não! Eh pá! Não posso! Não dá!" Mas assim com um ar muito comprometido. E insistem nesta fórmula, até, brilhantemente, os amigos se sairem com esta: " A tua mulher não te deixa sair é?". Neste ponto, o marido, rejubila!! A fórmula perfeita. Os amigos ficam a pensar que ele é homem à séria e até curte aquele programa, mas tem uma megera em casa, que o deixa a dormir do lado de fora da porta se ele ousar sequer pensar no diabo do caracol, na molhenga e no pãozinho.
Pois é, cavalheiros! Eu cá não sei. Mas também me parece que esta versão não é muito abonatória para homem moderno que se preze! A não ser que os amigos sejam do tempo da patroa marafona de rolo da massa na mão e ainda acreditam que ao Domingo é imperetrivelmente dia de Cozido à Portuguesa!! Pá, gajos!!Vejam lá se atinam, meus!!

quinta-feira, agosto 05, 2004

Henri Cartier-Bresson, 1908-2004


Henri Cartier-Bresson. Alicante, Spain. 1932
[Ou as 3 comadres da Travessa da Conversa]

Morreu o mestre de outros mestres ainda vivos (e.g., Gérard Castello-Lopes).

"Para Henri Cartier-Bresson, como para Sebastião Salgado, a imagem funciona sempre como instrumento de revolta contra as injustiças do mundo, contra a desordem da ordem estabelecida. De outra forma, as suas fotografias seriam ilegíveis." (Por Rui B. do Sous les Paves, La Plage!, 12/02/04)

"Concordo com essa merda toda do poder da imagem. tenho, no entnto, uma pergunta a fazer. imaginemos que um desses fotografos vê um homem a ser espancado e torturado. o que deve fazer? continuar a tirar fotografias ou socorrer a vítima. é evidente que EU sei o que faria´"(Por Cândida às 11:32 de 13/02)

"Gosto dessa tribo toda que usa a imagem como picareta da revolta: Cartier-Bresson, Sebastiao Salgado, Robert Doisneau* (excepto a sua fase dos beijos e da publicidade), Gerard Castello Lopes... Um homem a ser espancado e torturado "merece" uma accao imediata, urgente. Mas... e a miseria humana? Nao ha accoes imediatas para acabar com ela. Que fique, entao, uma imagem, como picareta..." (Por Maria das Flores às 15:43 de 13/02)


*Robert Doisneau* - autor da foto de apresentacao da Travessa (Arcueil, Dimanche Matin, 1954).

[Adenda: Um Genio:
"(...) E tudo isto [Cartier-Gresson] fez com aquilo a que se chamará, erradamente, uma simplicidade total. Isto é, fotografia directa, "straight", despojada, depurada, "natural", sem truques, sem distorções, sem ângulos esquisitos, sem intenções nem invenções. Não há nada mais difícil e complexo do que ver, escrever, falar e fotografar com simplicidade. Isto é, com clareza e precisão.
(...)
E soube ser o quase impossível: um inocente empenhado. Sem programa, a não ser o da sua humanidade, não era desprovido de interesse e preocupação, mas não deixa nunca as suas crenças e os seus preconceitos políticos invadir a sua arte. Não é um fotógrafo "empenhado", na acepção que as ideologias de combate inventaram e tornaram, durante malfadados anos, obrigatória. Disponível para o mundo, é um inocente. Mas empenhado na humanidade. E um génio. No exacto e preciso sentido da palavra.
" (Antonio Barreto)]

" Um fado qualquer"

" E enfim, estava tudo bem ou coisa assim: o apartamento confortável, bom design, um amor normal e tal.Em vão procurou razões de exaltação e voltou para casa muito, muito, devagar, como quem não quer chegar. Pensou nos tempos que em festas e dramas bebeu pelos becos, dançou nas vielas, pôs todos os homens a cantar. Mas hoje à noite, se um fado qualquer soar estafado na sala de estar, talvez se aguente sem nada dizer, enchendo a boca durante o jantar."

Quinteto Tati

quarta-feira, agosto 04, 2004

Fatalmente, isto hoje tinha de acontecer.

Nao detestam quando o vosso computador vos informa que ocorreu uma excepcao fatal? Sobretudo quando nao gravaram os dados que ha' uma hora estavam a introduzir num *%*#@! de um computador? E so' depois repararem que o computador nao estava a gravar o ficheiro automaticamente, de 5 em 5 minutos, como previamente programado? Nao detestam? Sem excepcao?

Uma excepcao. Fatal. Brrrrrrr! [arrepio] Mete medo.
E' claro que o vagabundo do meu ex-computador (cortamos relacoes; talvez um dia consigamos ser amigos) andava a rugir ja' ha' umas semanas. Vrrruuuum, vruuummmm! - tipo carro gripado. Nao liguei. Achei que o histerico estava so' a tentar chamar a atencao, como todo o histerico que se preza. Mas teve de ter a ultima palavra, o bandalho: "A fatal exception XY has occurred at xxxx:xxxxxxxx", grunhiu ele, entre circuitos integrados (ou la' o que e'). Deu o ultimo berro. Deu "o" berro, portanto. Os problemas de comunicacao sao uma coisa aflitiva nesta vida.

Tive de consultar a microsoft, para ver se havia hipotese de ultrapassar estes nossos problemas de casal. O diagnostico (e eventual tratamento) foi este:

"When you attempt to shut down your computer, start Windows, or start a program in Windows, you may encounter error messages that are similar to:

A fatal exception XY has occurred at xxxx:xxxxxxxx

Fatal exception errors are codes that are returned by a program in the following cases:
- Access to an illegal instruction has been encountered
- Invalid data or code has been accessed
- The privilege level of an operation is invalid


When any of these cases occurs, the processor returns an exception to the operating system, which in turn is handled as a fatal exception error. In many cases the exception is non-recoverable and the system must either be restarted or shut down, depending upon the severity of the error.
(...) (isto e', etc., etc.)
"

De que me acusa o bandalho? Acesso a uma instrucao ilegal? Acesso a dados ou codigos invalidos? O nivel preferencial de uma operacao que eu fiz e' invalido? Give me a break, que parto isto tudo!

So' coisas que me apoquentam.

Mudei de PC. Para um com o qual ja' tinha tido umas aventuras. Nao le disquetes, mas parece mais razoavel, com menos crises histericas. Chegamos a um compromisso. O bandalho que nao se ponha a pau, que ainda e' largado numa fossa septica.

Comecei vida nova com o PC do lado.

O meu capricho para quando for uma grande mulher e politica e deputada (da serie "Os Meus Caprichos")

... Ser a Helena Roseta. Mas sem cartao partidario, talvez.

"Não percebo como se pode reclamar de moderna uma concepção que vê os partidos como estruturas de decisão alheadas do escrutínio público nos seus principais actos." (Helena Roseta, no Publico de hoje)

"Basta recordar o lamentável episódio da luta em torno do aborto que travei num Congresso. Apesar de ter obtido 40 por cento dos votos, fui saneada das listas dirigentes por me ter oposto a Guterres." (Helena Roseta)

"Outra ideia velha que tem de ser desmontada é a de que não há questões ideológicas dentro do PS. A ideia da morte da ideologia é, só em si, uma ideia da direita. Há novos desafios e novos temas, que não são apenas os chamados fracturantes. Há que repensar o papel do Estado e o espaço da autonomia individual num mundo globalizado e mediatizado. Há que mudar as formas de organização e prestação das políticas sociais. Há que fundar uma nova aliança entre os partidos políticos e os movimentos sociais, baseada em causas comuns a nível global, nacional e local. É por isso que não se pode dizer que o problema ideológico não se põe. É o contrário. Põe-se com cada vez maior exigência. Há que estudar, reflectir, ouvir as pessoas e debater. Como me escrevia hoje um cidadão preocupado, face à hegemonia neo-liberal, "militar é preciso". (Helena Roseta)

terça-feira, agosto 03, 2004

Coisas que me aborrecem de morte!

A presunção de importância!
( A esses só lhes ofereço silêncio!)

Like anything else

"I thought about suicide, but it wouldn't solve ALL my problems." (Jason Biggs as Jerry Falk in "Anything Else", directed by Woody Allen; acho que era assim a frase; e teve imensa piada.)

Nao ponho aqui o poster do filme, que e' foleirissimo, mas acho que e' foleiro de proposito...Nao me venham dizer que o Woody Allen esta' velho, porque isso e' um facto banal. Velho? E alora? Os dialogos sao do velho mestre, Manhattan tambem e a Billie Halliday e' a Billie Holiday. O velho mestre nao fica com a rapariga desta vez, mas puxa muito os cordelinhos do rapaz que que e' suposto ficar com a rapariga, o que foi jogada de (velho) mestre. Este filme "da' ares" ao "Annie Hall"? So what? Gosto muito mais desta onda Woodyalliana intimista-existencialista-nihilista-paranoide do que da onda policial de "Small Time Crooks" e "The Curse of the Jade Scorpion". E, para ja', e' tudo.

[Espero criar inimigos com este post. Se nao criar inimigos com este post, espero criar inimigos com estes parentesis rectos.]

" A quinta não entra. Escusa de apitar."

Cartaz avistado no vidro de trás de um Fiat Uno.

segunda-feira, agosto 02, 2004

O meu capricho para Agosto (da serie "Os Meus Caprichos"):

...FERIAS!

O motor deste meu capricho e' a impossibilidade de o realizar. Alias, o que espicaça
mais o desejo do que a impossibilidade (ou a dificuldade) de o materializar? [Acontece-me tambem, 'as vezes, gostar mais da viagem e de a planear do que da chegada ao destino.]

Sou dos poucos primatas humanos vivos, descendentes do Imperio Romano do Ocidente, fracçao dos descendentes da Revoluçao Francesa, que nao tem ferias em Agosto (nem em Setembro, se calhar, nem em Outubro, nem em Novembro). Como tal, vou continuar a minha ode 'a estrela-do-mar (da serie: "Ode 'a Estrela-do-Mar"), enquanto a maioria dos descendentes do Imperio Romano do Ocidente (sub-fracçao dos descendentes de Robespierre) se veraneia ou planeia veranear-se.

Estrela do Mar
Letra e música: Jorge Palma
In: "Asas e penas" (84); "Só" (91)

Numa noite em que o céu tinha um brilho mais forte
e em que o sono parecia disposto a não vir
fui estender-me na praia sozinho ao relento
e ali longe do tempo acabei por dormir

Acordei com o toque suave de um beijo
e uma cara sardenta encheu-me o olhar
ainda meio a sonhar perguntei-lhe quem era
ela riu-se e disse baixinho: estrela do mar

Sou a estrela do mar
só a ele obedeço, só ele me conhece
só ele sabe quem sou no princípio e no fim
só a ele sou fiel e é ele quem me protege
quando alguém quer à força
ser dono de mim

Não sei se era maior o desejo ou o espanto
mas sei que por instantes deixei de pensar
uma chama invisível incendiou-me o peito
qualquer coisa impossível fez-me acreditar

Em silêncio trocámos segredos e abraços
inscrevemos no espeço um novo alfabeto
já passaram mil anos sobre o nosso encontro
mas mil anos são pouco ou nada para a estrela do mar