Conversa na Travessa

sexta-feira, julho 30, 2004

Ode visual ao Pessego (Peach),

À Estrela-do-Mar mai'linda do mundo Disney (Pixar e' Disney?).

Descubra as diferencas:

(Roubado da Interseccao entre a Antropologia e a Economia)

(Roubado da Pixar)

Morreu o "Darwin do seculo XX", aos 88 anos...


Francis Crick 1916-2004

...Francis Crick, co-descobridor da dupla-helice do DNA. Em 1953, em colaboracao com James Watson, publicou um paper na Nature que viria a revolucionar a biologia moderna. E' devido a esse trabalho que Crick e Watson recebem o Premio Nobel, em 1962.

Mais aqui e aqui sobre o (sobretudo) teorico revolucionario.

E não é que hoje...

...é dia de Dj Vibe no Lux?
(até colocaria aqui uma imagem do sr., mas acho que o blog merece ter imagens de homens bonitos)

Já que os bilhetes para a Madonna, além de caros, parecem que já esgotaram vou ali gastar umas calorias extras para os lados de Santa Apolónia!

A Tangerina

quinta-feira, julho 29, 2004

Cansaco fisico? Esta' tudo na cabeca.

1. 10 minutos de pausa para cafe', fatia de cheesecake de morango e leitura veloz de um e apenas um jornal (em papel).

2. 'A disposicao: The Guardian, The Times, The Independent e Financial Times, todos eles edicoes de hoje e em bom estado de conservacao (ainda ninguem os leu).

3. Factor de decisao na escolha do jornal: o cansaco.

Por conseguinte, a escolha de leitura do The Independent, no seu recente formato petite constituiu a unica opcao possivel. Apetecia-me mais ler o The Guardian ou o Financial Times (FT), mas as suas dimensoes exigiriam uma extenuante sessao de Yoga para levar avante a leitura. Nao que eu as nao faca (cedilha) amiude, mas, depois de um repasto faustoso, nao e' saudavel. O Financial Times e', entao, aconselhavel a Yoggies experientes. Apesar de ter pouca largura, o FT possui um comprimento que eu propria gostaria de ter. Quando me quero esconder, ou fazer uma surpresa a alguem, enrolo-me numa folha de FT...et voila'! Basta uma unica folha. A cor do FT tambem pode ser um factor limitante: aquela cor de pessego-assalmonado e' soporifera, o que e' pena, porque o FT e' um jornal de qualidade.

O problema de hoje foi, realmente, o cansaco. Ou seja, o meu cerebro captou niveis elevados de interleukin-6 (IL-6) no sangue, moleculas que "dizem" que o corpo esta' cansado, antes mesmo de os musculos estarem de facto exaustos. Quem o diz e' Paula Robson-Ansley, da Universidade de Portmouth, conforme relatado por Charles Arthur, no The Independent de hoje, "Tired? All in the mind, says sports scientist":

"Physical exhaustion is all in the mind, according to new research. A British scientist and would-be Olympic rower has discovered that the mind decides the body is fatigued long before muscles really are tired.

Paula Robson-Ansley, of the University of Portmouth, has found that the brain takes its cue from blood levels of a "signalling" molecule called interleukin-6 (IL-6) to tell the body it is tired, so that muscles are not exercised dangerously hard. Yet muscles could work for longer if the brain could ignore the "tiredness" signals.

(...)Besides athletes, the finding could help treat people with conditions such as chronic fatigue syndrome. One company is testing a "blocker" antibody for chronically fatigued patients.
" (p. 15 da edicao impressa do The Independent)

- Por favor, queria 2 embalagens de inibidor de interleukin-6 (IL-6)em capsulas. Posso trazer a receita do medico depois?

Preciso de dopping.

Audiências macabras

Os canais de televisão descobriram uma nova " mina" de audiências. Fazem programas de "Tributo" a pessoal que está para morrer, mais ano menos ano, e depois na altura do óbito fazem reposições.
Ah pois é!
São capazes é de se lixar com a Lili Caneças. Na altura que ela finar, o programa já será uma reposição histórica.

quarta-feira, julho 28, 2004

RB - "Tangerina, estás mais magra"
Tangerina - "pois... ando a evitar comer umas coisas, doces e gorduras"
RB - "estás a conseguir resistir ao queijo?!?"
Tangerina - "não vamos exagerar... estou a emagrecer, não a fazer sacríficios!!!"



A Tangerina

Superstições

Ou a bandeira portuguesa equiparada às fitinhas do Sr. do Bonfim.
É verdade! Deixamo-las na janela até se decomporem e aí todos os nossos desejos se realizarão...Num destes Invernos, seremos todos mais felizes.

SMS

"ansiosamente espero pela hora onde os teus lábios encontram os meus"




(apeteceu-me voltar aos post's ronhonhó)

A Tangerina

terça-feira, julho 27, 2004

Os meus caprichos para hoje sao:



...ferias nalguma ilha recondita da Croacia, ainda nao transformada em resort, e uma sucessao periodica de mojitos de qualidade. Atento aos meus desejos mais caprichosos, uma santa alminha foi buscar hortela-pimenta 'a sua horta e rum da melhor qualidade, e foi aprender a fazer um mojito como deve de ser. Logo hoje que ia falar do belo do mojito. Fiquei sensibilizada. Obrigada. (Snifs!) Estas redimidissimo, pelo menos da minha parte. Pelo menos por hoje. ;o) (piscar de olho) Sou uma vendida.

Aqui estao a receita e conselhos do Ideafix:

"Ingredientes:
Rum (de muito boa qualidade);
Folhas de hortelã - pimenta (muitas e de qualidade - podem ser 12);
1/2 lima;
Club soda;
E açucar amarelo (mascavado, porque como toda a gente sabe, o açúcar mascavado resulta da cristalização do suco da cana);
Gelo grosseiramente picado.

Nada de facilitar - substituir lima por limão, hortelã por manjericão e açucar mascavado por açucar branco equivale a merecer castigo exemplar - por exemplo, assistir a uma tarde especial de Domingo da TVI com o Carlos Ribeiro e a beber "mojito" com limão, manjericão e açucar branco ao mesmo tempo! 
[Eu tambem nao aceito "facilitacoes". I'm a high maintenance girl. MdF]

 1/2 lima, umas 8 folhas de lima e 1 colher e meia de açucar mascavado. Com o pilão de um almofariz. esmagam-se bem todos os ingredientes até se obter uma mistura que se coloca depois num copo alto.
Seguidamente enche-se o copo com o gelo grosseiramente picado e colocando também umas 3 ou quatro folhas de hortelã e meia rodela de lima. Enche-se 2/3 do copo com rum e o restante com soda.
Mexe-se, sem se agitar.

Não abusar. Parece que havia dias em que o Hemingway bebia mais de dois destes por dia e toda a gente sabe o que lhe aconteceu...
[Mas o que lhe aconteceu? Escreveu uns bons livros, que continuam a ser assunto la' de casa, geracao apos geracao. Mojito power! MdF]"

Agora quem e' que me oferece as tais ferias-nalguma-ilha-recondita-da-Croacia-ainda-nao-transformada-em-resort?

Post post. Long live to Pitau Raia! - blogue que parece ter as ferramentas todas para se tornar um piteu. (ja' ca' faltava a piada facil)

O aniversário ainda vem longe...

...mas podem começar a economizar. Eu quero isto.
O.K.?

segunda-feira, julho 26, 2004

Para fotocopiar e colar no armario...

...uma fotocopia de um manifesto do armario:

"1. Queremos ser homens a sério, vestir fato e gravata, falar com gravidade, e contar anedotas sobre toda a gente que não seja homem a sério, que não vista fato e gravata, que não fale com gravidade, e que não conte anedotas sobre toda a gente que não seja homem a sério.
2. Queremos casar com mulheres espampanantes que nos acompanhem aos coqueteles e que de vez em quando possam ser secretárias de Estado de qualquer coisa.
3. Queremos ter filhos, dar-lhes nomes sonantes, e pô-los em colégios privados e católicos onde os ensinem a casar-se com mulheres espampanantes que os acompanhem aos coqueteles e que de vez em quando possam ser secretárias de Estado de qualquer coisa, assim como, aliás, as nossas filhas.
4. Queremos poder defender em público e na política os valores sólidos e tradicionais da família e da sociedade, sem pestanejarmos e sem manifestações efeminadas como o rubor das faces.
5. Queremos uma sociedade onde haja um respeito escrupuloso pela vida privada e onde o que cada homem faz depois da meia-noite ou nas viagens de negócios seja com cada um, assim como os olhos negros que as mulheres adquirem ao cair das escadas são assunto privado delas. 6. Queremos uma sociedade sem manifestações de exibicionismo, histeria e efeminação e onde os gays possam estar tranquilos e protegidos em seus bares com campaínha à porta e cabides para pendurar os fatos e as gravatas .
7. Queremos ir para a cama com outros homens casados com mulheres espampanantes e que também defendam o valor sagrado da vida privada, ou com homens que não sendo casados com mulheres espampanantes saibam respeitar o valor sagrado da iniciativa privada e nunca nos acompanhem aos coqueteles." (posted by mva, in Os Tempos que Correm)

Pitau-Raia....ah, pois é!

Aguardamos ansiosamente novos desenvolvimentos!

( Se conseguisse colocar imagens, colocava agora uma.)

( Afinal parece que consigo)

Aqui vai!




Ericeira...

...onde o mar é mais azul!

Foto so sr. Manuel Grilo

A Tangerina

sexta-feira, julho 23, 2004

O desespero

O desespero de nao conseguir colocar imagens no blog levou-me a isto:


You are a dark writer. A fierce and loyal follower
of Poe and the other gothic authors, you LOVE
to instill a sense of revulsion and somewhat
fear in your readers. You love to poke their
brains with logic dealing with the darker side
of the human mind and character. Truly
surprising and a true individual, you'll do
ANYTHING to create a scene. :)


What's YOUR Writing Style?
brought to you by Quizilla

Testing!!




Verdes anos


Acho que nao estarei a ser injusta, se disser que este senhor tratou a guitarra portuguesa como ninguem.

Uma decada de sofrimento e' muito ano de sofrimento.

http://www.instituto-camoes.pt/cvc/disco/71/carlosparedes.jpg">
O Mundo Segundo Carlos Paredes, 1958-1993

[Por que e' que o blogger nao me deixa por imagens?? Mau.]



The Raven- by Edgar Alan Poe

First Published in 1845

Once upon a midnight dreary, while I pondered, weak and weary,
Over many a quaint and curious volume of forgotten lore,
While I nodded, nearly napping, suddenly there came a tapping,
As of someone gently rapping, rapping at my chamber door."
'Tis some visitor," I muttered, "tapping at my chamber door;
Only this, and nothing more."

Ah, distinctly I remember, it was in the bleak December,
And each separate dying ember wrought its ghost upon the floor.
Eagerly I wished the morrow; vainly I had sought to borrow
From my books surcease of sorrow, sorrow for the lost Lenore,.
For the rare and radiant maiden whom the angels name Lenore,
Nameless here forevermore.

And the silken sad uncertain rustling of each purple curtain
Thrilled me---filled me with fantastic terrors never felt before;
So that now, to still the beating of my heart, I stood repeating,
" 'Tis some visitor entreating entrance at my chamber door,
Some late visitor entreating entrance at my chamber door.
This it is, and nothing more."

Presently my soul grew stronger; hesitating then no longer,
"Sir," said I, "or madam, truly your forgiveness I implore;
But the fact is, I was napping, and so gently you came rapping,
And so faintly you came tapping, tapping at my chamber door,
That I scarce was sure I heard you.
" Here I opened wide the door;---
Darkness there, and nothing more.

Deep into the darkness peering, long I stood there, wondering, fearing
Doubting, dreaming dreams no mortals ever dared to dream before;
But the silence was unbroken, and the stillness gave no token,
And the only word there spoken was the whispered word,
Lenore?, This I whispered, and an echo murmured back the word,
"Lenore!" Merely this, and nothing more.

Back into the chamber turning, all my soul within me burning,
Soon again I heard a tapping, something louder than before,
"Surely," said I, "surely, that is something at my window lattice.
Let me see, then, what thereat is, and this mystery explore.
Let my heart be still a moment, and this mystery explore.
" 'Tis the wind, and nothing more."

Open here I flung the shutter, when, with many a flirt and flutter,
In there stepped a stately raven, of the saintly days of yore.
Not the least obeisance made he; not a minute stopped or stayed he;
But with mien of lord or lady, perched above my chamber door.
Perched upon a bust of Pallas, just above my chamber door,
Perched, and sat, and nothing more.

Then this ebony bird beguiling my sad fancy into smiling,
By the grave and stern decorum of the countenance it wore,
"Though thy crest be shorn and shaven thou," I said, "art sure no craven,
Ghastly, grim, and ancient raven, wandering from the nightly shore.
Tell me what the lordly name is on the Night's Plutonian shore.
"Quoth the raven, "Nevermore."

Much I marvelled this ungainly fowl to hear discourse so plainly,
Though its answer little meaning, little relevancy bore;
For we cannot help agreeing that no living human being
Ever yet was blessed with seeing bird above his chamber door,
Bird or beast upon the sculptured bust above his chamber door,
With such name as "Nevermore."

But the raven, sitting lonely on that placid bust, spoke only
That one word, as if his soul in that one word he did outpour.
Nothing further then he uttered; not a feather then he fluttered;
Till I scarcely more than muttered, "Other friends have flown before;
On the morrow he will leave me, as my hopes have flown before.
"Then the bird said, "Nevermore."

Startled at the stillness broken by reply so aptly spoken,
"Doubtless," said I, "what it utters is its only stock and store,
Caught from some unhappy master, whom unmerciful disaster
Followed fast and followed faster, till his songs one burden bore,---
Till the dirges of his hope that melancholy burden bore
Of "Never---nevermore."

But the raven still beguiling all my sad soul into smiling,
Straight I wheeled a cushioned seat in front of bird, and bust and door;
Then, upon the velvet sinking, I betook myself to linking
Fancy unto fancy, thinking what this ominous bird of yore --
What this grim, ungainly, ghastly, gaunt and ominous bird of yore                                      
                                                           Meant in croaking "Nevermore."

Thus I sat engaged in guessing, but no syllable expressing
To the fowl, whose fiery eyes now burned into my bosom's core;
This and more I sat divining, with my head at ease reclining
On the cushion's velvet lining that the lamplight gloated o'er,
But whose velvet violet lining with the lamplight gloating o'er
She shall press, ah, nevermore!

Then, methought, the air grew denser, perfumed from an unseen censer
Swung by seraphim whose footfalls tinkled on the tufted floor.
"Wretch," I cried, "thy God hath lent thee -- by these angels he hath
Sent thee respite---respite and nepenthe from thy memories of Lenore!
Quaff, O quaff this kind nepenthe, and forget this lost Lenore!"
Quoth the raven, "Nevermore!"

"Prophet!" said I, "thing of evil!--prophet still, if bird or devil!
Whether tempter sent, or whether tempest tossed thee here ashore,
Desolate, yet all undaunted, on this desert land enchanted--
On this home by horror haunted--tell me truly, I implore:
Is there--is there balm in Gilead?--tell me--tell me I implore!
"Quoth the raven, "Nevermore."

"Prophet!" said I, "thing of evil--prophet still, if bird or devil!
By that heaven that bends above us--by that God we both adore--
Tell this soul with sorrow laden, if, within the distant Aidenn,
It shall clasp a sainted maiden, whom the angels name Lenore---
Clasp a rare and radiant maiden, whom the angels name Lenore?
Quoth the raven, "Nevermore."

"Be that word our sign of parting, bird or fiend!" I shrieked, upstarting--
"Get thee back into the tempest and the Night's Plutonian shore!
Leave no black plume as a token of that lie thy soul hath spoken!
Leave my loneliness unbroken! -- quit the bust above my door!
Take thy beak from out my heart, and take thy form from off my door!
"Quoth the raven, "Nevermore."

And the raven, never flitting, still is sitting, still is sitting
On the pallid bust of Pallas just above my chamber door;
And his eyes have all the seeming of a demon's that is dreaming.
And the lamplight o'er him streaming throws his shadow on the floor;
And my soul from out that shadow that lies floating on the floor
Shall be lifted---nevermore!

Obrigada, por mo teres feito ler de novo!

quinta-feira, julho 22, 2004

Being in denial - adenda

Mea culpa, minha tao grande culpa...

Expressei-me tao mal no meu post sobre o "I'm Not in Love", que nao estou em mim! Expressei-me mal e pior interpretada fui. "Uma coisa vem com a outra", dizem-me. Portantos, estou a modos que aqui de novo para esclarecer que eu gosto do "I'm Not in Love" e que aquilo nao e' nada piroso; o que e' pirosa e' a traducao abrasileirada que eu adaptei de um brasuca sem nome, ok?

"Entao, e' assim":

A musica do "I'm Not in Love" e' uma musica romantica com uma grande tristeza subjacente. A letra e' toda "nao estou a sofrer, estou completamente cool, deslarga-me, que eu nao gosto de ti", mas, no fundo o gaijo nao se esquece da gaija e o que mais queria era que ela lhe telefonasse para irem tomar umas imperiais juntos. No fundo, e agora vou dar um tiro no meu outro pe' (ajuda-me, jolina!), estamos perante uma serie de oximoros (ou oximorons?), de contradicoes em si proprias, de "amor e' fogo que arde sem se ver", de "e' ferida que doi e nao se sente", de "odeio-te, meu amor!". E eu, que sempre gostei de oximoros (com conta peso e medida, claro esta'), como poderia achar esta cancao pirosa? Hein? Compararem esta cancao ao Rod Stewart, ao Kenny G e 'a Eurovisao da Cancao e' mais do que escabroso. E' triste. [Fizeram-no, nas minhas barbas.] Mas a culpa e' minha.

Resumo 'a pressa: portantosss, a musica do "I'm Not In Love" e' toda romantica, a letra tenta dizer o contrario, mas depois contraria-se a si propria, no fim aquilo e' tudo muito romantico e esta' tudo muito bem descrito.

Ainda nao estou em mim.

Contribuicao para o desordenamento do territorio...

...do Pastilhas.

Being in denial. Nao obstante a musica ser puro mel, a letra desta cancao e' um fartote de rir. Gosto sobretudo da parte que fala da foto que esta' a tapar uma nodoa na parede. Esta perola foi originalmente cantada pelos 10cc, em 1975 (se nao me falha o Google), e lembrei-me disto porque estava a ouvir uma versao da perola pelos Fun Lovin' Criminals. Quem ouvia a Radio Cidade, nos tempos em que era uma radio pirata (in the 80's), deve conhecer a versao brasileira da Deborah Blando, "Somente o Sol".

I'M NOT IN LOVE Não estou apaixonado
SO DON'T FORGET IT Portanto, não se esqueça que
IT'S JUST A SILLY PHASE  É só uma fase tola
I'M GOING THROUGH Que estou passando
AND JUST BECAUSE  É só porque
I CALL YOU UP  Eu te telefono
DON'T GET ME WRONG AND THINK  Não me entenda mal e pense
YOU'VE GOT IT MADE  Que já me ganhou
I'M NOT IN LOVE, NO, NO  Não estou apaixonado, não, não
IT'S BECAUSE ... É porque ...
I'D LIKE TO SEE YOU Eu gosto de te ver
BUT THEN AGAIN  Mas repetindo
IT DOESN'T MEAN YOU MEAN  Não quer dizer que você
THAT MUCH TO ME   Signifique muito para mim
SO IF I CALL YOU  Por isso, se eu te telefonar
DON'T MAKE A FUSS  Não fique toda animada
AND TELL YOUR FRIENDS  Dizendo aos seus amigos
ABOUT THE TWO OF US  Sobre nós dois
I'M NOT IN LOVE, NO, NO  Não estou apaixonado, não, não
IT'S BECAUSE ...  É porque ...

(Be quiet...big boys don't cry...)  (Caladinho!...rapagoes nao choram)

I KEEP YOUR PICTURE  Ainda tenho o seu retrato
UPON THE WALL  Pendurado na parede
IT'S TO HIDE A NASTY STAIN   É só para esconder uma mancha feia
JUST LYING THERE  Que existe lá
SO DON'T YOU ASK ME   Por isso não me peça
TO GIVE IT BACK  O retrato de volta
BUT THEN YOU KNOW  Pois você sabe
IT DOESN'T MEAN THAT MUCH TO ME  Que não significa muito para mim
I'M NOT IN LOVE, NO, NO   Não estou apaixonado, não, não
IT'S BECAUSE ...  É porque ...
OH YOU'LL WAIT A LONG TIME FOR ME  Você vai esperar muito por mim
OH YOU'LL WAIT A LONG TIME ...  Você vai esperar muito ...
OH YOU'LL WAIT A LONG TIME FOR ME ... Você vai esperar muito por mim ...

Saudades do Euro?? Não tenha!

Euro 2004 ( Tira o Pauleta, porra!)
 

e  um joguinho pró relax!

Descobre as três diferenças entre estas duas fotografias!
 ( ambos via amor e ócio)





quarta-feira, julho 21, 2004

Ando queixosa.

Ando queixosa, mas por pura ignorancia e preguica (cedilha). E por falta de tempos (mental e outros tempos), tambem.  Uma das queixas recentes  era a de que ninguem fazia referencia ao Belleville Rendez-Vous, nestes tempos de Tour de France. Pois eis que me tenho de deixar de queixar disso. Viva o Champion! E viva a lusa Madame Souza, a verdadeira campea (til no ultimo "a") da historia. Obrigada, Jose' Mario Silva.

"A bem dizer queria era saber quem ela é."

Expressa a assim a sua preocupacao por nao saber quem e' a Leisha Hailey, a Comadre Paula. Segundo o teste do Quizilla, "Which Lesbian Icon are You" (adquirido via Bomba), se eu fosse lesbica, seria uma tipa cheia de pinta, versatil, "sempre com vontade de explorar novos territorios", ao que parece talentosa nas artes musicais e de representacao, e enroscarme-ia com a K.D.Lang (duvido, apesar da voz) - i.e., a Leisha Hailey. Prontamente, confessei, de comadre  para comadre, que:

"Bom, no Quizilla diz que a Leisha entrou em filmes como o "All Over Me" (???) e no programa de tv 'The L Word' (???????). Canta nos Murmurios (olha, podia ser a banda de suporte aqui da Travessa) e da-se muito com a KD Lang (esta sim, conheco, g'anda voz). A cara dela nao me e' estranha, mas se calhar estou a confundi-la com a tipa que entra no 'Run Lola Run'. E prontosss, e' isto que sei."

Mas fiquei com a pulga atras da orelha. Tinha de saber mais. Vai dai, vou aos Renas e Veados, "sessao" de Terça-feira, Fevereiro 03, 2004, e descubro uma entrevista da Leisha ao The Advocate e esta questao posta pelos Renas e Veados: Is Lesbian the new black?
 


Googlando, descubro umas coisitas sobre o filme "All Over Me", sobre a p0p band The Murmurs,  sobre a Alice  (Leisha Hailey no tv show "The L Word") e sobre a relacao da Leisha com a K.D. Lang .

A bem dizer, Comadrezita, esclarecida?

P.S. Isto e' um post de Verao, estou em crer. Se fosse um post de outra estacao qualquer, tipo da estacao (cedilha e til) das moncoes (cedilha e til), escreveria um post serio e lacrimejoso (la-cri-ME-jo-so) sobre a disparatada decisao de se encerrar o Cruzes Canhoto. Mas estamos na silly season (estacao do disparate, ou disparatada). Por isso, espero que este disparate pegado tenha fim pelo menos na altura do encerramento da epoca balnear. Entretanto, vou-me continuando a queixar que, chegados o Verao e Santana Flopes, nao tenha nada para ler.

Um blog à séria!

Ou a melhor forma de combater as saudades do colega que parte!
 
Bibis Zé!
A Tangerina
 

terça-feira, julho 20, 2004

Eu e a Tábua

"Outro dia eu
Tava em casa me sentindo na prisão
Jogando dardo na televisão
Estressado, cansado dessa vida louca
Olhei pro lado e vi a mulher passando roupa
Minha cueca azul, da cor do mar
Me deu vontade de ir pegar uma onda com a minha tábua de passar
E, pra fugir da rotina
Detonei uma vela pois não tinha parafina
Tudo em cima - "Vai pra onde amor?"
Vamos a la playa...
-"Vamos a la playa?! Ô! Cê vai com quem?"
Eu, a tábua, e mais ninguém
-"E a roupa pra passar?"
Ah, deixa pra lá
Hoje eu não vou precisar do terno
Me passa a tábua e me deixa relaxar...
E que tudo mais vá pro inferno
Estou a dois passos do paraíso ...
Eu e a tábua de passar
Batalhando no front da guerra do cotidiano
Procuro uma trégua na linha do horizonte
E encontro um oceano
Às vezes me sinto um peixe fora d'água e de repente começo a chorar
Mas agora eu vejo tanta água aqui na minha frente que eu nem sei por onde começar
"Por onde eu vou entrar, pescador?" (-Ah, sei lá!)
Então eu vou no instinto, pego uma tábua e vâmo vê o que que dá
Começo a remar
E no começo eu levo onda na cabeça sem parar
O sufoco é passageiro
Mas eu fico sempre alerta feito um escoteiro
Porque o mar é traiçoeiro
E eu amo o mar, mas odeio esse cheiro
De leptospirose, hepatite, isso é o que não falta
Devia ter vindo com uma roupa de astronauta
Porque se eu caio dessa tábua
Eu tomo um caldo dessa onda e um gole dessa água
Estou a dois passos do paraíso...
Eu e a tábua de passar
Se o mar virar sertão e o sertão virar mar eu vou morar lá no sertão com a minha tábua de passar
Porque isso aqui tá muito bom, isso aqui tá bom demais
- "...Atrás!!!!"
Devia ter visto minha cara de emoção: eu e a tábua por dentro do salão
Queria tirar uma foto quando o jato espirrou
Pra mostrar pros meus filhos, que lindo, pô...
Pelo menos em algum lugar eu me sinto em paz
Longe dos problemas banais
Preciso respirar um pouco
Navegar é preciso, senão eu fico louco
A maré não tá pra peixe lá fora do mar
Mas quem tá na água é pra se molhar
E eu vou em frente
Remando contra a corrente
Só pra exercitar
E nos caldos que a vida me dá
A minha tábua de salvação é a minha tábua de passar
"Longe da terra, perto da água, dentro do mar... Longe da guerra, eu e a tábua, eu e a tábua de passar..."
Dizem que aqui tem tubarão
Mas minha mulher veio me buscar com o ferro quente na mão
Tá me chamando lá na beira
E eu aqui até agora esperando a saideira
Estou a dois passos do paraíso ...
Eu e a tábua de passar"
- Gabriel O Pensador/André Gomes
 
Bom! Odeio passar a ferro e ia escrever acerca disso. Mas depois de ouvir este som, boa onda,...I rest my case. A vida é cheia de muitas coisas muito pouco importantes. 
  
Ouçam aqui! Vão a discografia; " Quebra-Cabeças"; La numero 9!

   
 



segunda-feira, julho 19, 2004

La' vem o testezinho.

Sou a Leisha, cool!! So' me falta acabar com este estupido corte de cabelo 'a anos 80 com que me encontro.
 
leisha
           You are Leisha Hailey!versitile, and always willing to explore new
territory. you have been in feature length
films such as All Over Me, and the television
show "The L Word" Not to mention the
fact that you were the frontwoman of the
Murmurs. You have also been seen on the arm of
fellow icon, KD Lang.

[Which Lesbian Icon Are You? Via Bomba]

(Nao consigo por o link do teste, da'-me erro. Vao ao Bomba.)





'bora la' perpetuar mitos?

"Live Fast, Die Young: A world where sex is unconstrained, and violence endemic" (titulo e subtitulo do artigo de John Ryle sobre o novo livro de Peter Robb, "A Death in Brazil", pag. 3 da versao impressa do The Times Literary Supplement de 16/07/04)
 
O sexo nao tem limites no Brasil? Com certeza que e' um mito que vende bem.
 
Tambem me irritou o facto de John Ryle apontar o que se segue como grande omissao no livro de Peter Robb:
 
"(...) The American edition of A Death in Brazil bears a subtitle, “A Book of Omissions”, and there are indeed some surprising gaps. Given that food and sex are such important themes in the book it is strange that Robb does not mention a telling convergence in the language: in Brazilian Portuguese the word for eating and having sex is the same. To be precise, comer (to eat) and dar (to give) are the terms in common use for the taking and giving roles in sex. To paraphrase Brecht, Erst das fressen, dann das Geschlecht. [Esta ultima frase nao aparece na versao impressa do artigo]. (...)"
 
E, depois, Mr. Ryle continua ainda:
 
"(...) Another, perhaps more surprising omission in this book, is any consideration of popular music, its ubiquity and its unusually important role in the cultural life of the country . (...)"
 
Talvez??? Com certeza que essa omissao e' muito mais surpreendente!!
 
Ando sem pachorra para aturar gajos destes.
 

sexta-feira, julho 16, 2004

Por Tutatis! [grande deus celta] Estes bárbaros sao loucos!

Eu, se calhar, nao devia dizer mal desta nacao (cedilha) de bárbaros (Alanos, Vândalos, Suevos, Hunos, Visogodos, Ostrogodos e outros Godos), que, mal ou bem, me tem acolhido nestes ultimos anos. E' pouco garboso cuspir no prato que nos deram, dizem. E se citar os proprios barbaros a dizerem mal deles proprios, pode ser?
 
Leitura de fim-de-semana (em estrangeiro barbaro):
 
1) "The World's Most Unpleasant Tourists", de Janet Street-Porter: "Far from opening our borders, there is a strong case for keeping the Brits at home until they have learned how to behave.
(...) In a survey published this week, market analysts Mintel revealed that a third of all British holydaymakers did not want to visit resorts dominated by their fellow countrymen. (...)
Last year, packs of young Brits caused havoc in resorts in Majorca and the Greek  resort of Faliraki, with stabings, drug abuse, sex in public, nudity and antisocial behaviour. Images of British men drinking and brawling in Portugal during the European Championships last month haven't exactly helped our image as the tourists no one wants to put their sun loungers near.
(...) As long as our young people think of foreign holiday destinations as places where they can behave even worse than they do on Friday nights in our major city centres after a night binge drinking, there's little hope of our image as the world's most unpleasant tourists changing.
Why not prevent anyone travelling abroad this summer who cannot pass a simple test in civility? (...) Basic language lessons, a ban on groups of more than 10 travelling together and a directive to foreign police forces to refuse to admit anyone who is drunk on arrival. (...)" (pag. 23 da versao impressa do The Independent de 15/07/04)
 
2) Segundo Lord Butler, parece que "Britain went to war on a false premise." [olha a novidade...] O The Independent de ontem (15/07/04) tem um suplemento integralmente dedicado ao Relatorio Butler. Ler tambem o The Independent de hoje. Todos os artigos do The Independent sobre o Butler Report aqui. Nao esquecer tambem o The Guardian: "Butler Report - Whitewash or time bomb: you decide."

quinta-feira, julho 15, 2004

O piloto automatico

Em certas circunstancias, ligo o piloto automatico. Outras vezes, o piloto automatico liga-se automaticamente. O piloto automatico toma-me conta das funcoes vitais (comer qualquer coisa, beber liquidos, locomover-me, ir 'a casa-de-banho, ler, cumprimentar algumas pessoas, fazer chit-chat basico para evitar silencios incomodativos, postar umas tretas, etc.). Ja' me tinha apercebido que a apatia ou a raiva podem existir quando se esta' em piloto automatico. A esperança nao.
Mas nao se luta se se estiver apatico. Que sobreviva a raiva.

"A esperança é a primeira a morrer. A raiva é que é a última." (Ivan citando um amigo)

quarta-feira, julho 14, 2004

Alguem viu?

Alguem viu:
a) onde anda a minha vida?
b) gente que queira fazer outro golpe de Estado em Portugal?
c) um cabeleireiro que NAO me queira fazer um corte de cabelo 'a anos 80?
d) uma cedilha?

E' que ando 'a caca deles.

Já alguma vez vos disse? III

- Ter de almoçar sozinha faz-me perder o apetite.
- Nunca provei raia.
- O besugo é um peixe irritante porque tem muitas espinhas.
- Já vi o " Nemo" 22 vezes.
- Estou a beber um sumo de maçãs frescas e cenouras, cujos ingredientes são apenas maçãs frescas e cenouras ( se bem que não percebo bem o que querem dizer com maçãs frescas. Ou deveria estar preocupada pelo facto de as maçãs serem específicamente frescas e as cenouras não?)
- Está muito calor.
- Tenho calor
- Que os pantones no vermelho e azul do Continente, não são os mesmos do vermelho e azul do Totta?
- Tenho tantas coisas interessantes para dizer...mas agora não tenho tempo.

Conversa com uma travessa

Ele olhando para adolescente da outra mesa, nem ouve a loura que o acompanha.
Ela - "Então, convidamos a pequena para a nossa mesa, ou vamos nós para lá, assim sempre comias mais descansado"
Ele - (apanhado de surpresa) "mas eu não estava a olhar para aquela 'gaja boa' (sic)"
Ela - "tanto não estavas que até sabes que ela é boa..."

A Tangerina

terça-feira, julho 13, 2004

Já vi este filme 18 vezes...dude!

You are CRUSH!
What Finding Nemo Character are You?

brought to you by Quizilla

( Via Bomba Inteligente )

segunda-feira, julho 12, 2004

Pó e mais pó



Este ano fui de novo ao Optimus Hype@meco.
Para além do pó, que já caracteriza o referido festival, não gostei tanto da escolha musical.

Pontos bastante Positivos
1- A companhia. Obrigada Sal, contigo tenho vindo a descobrir tantas sonoridades novas
2- Moloko, no seu melhor, grande espectáculo.
3- Trio Mocotó - grande surpresa!
4- Local para sentar na tenda Journeys, ao som do melhor chill-out.

Pontos TOTALMENTE abaixo de zero
1- Péssima organização do parque de estacionamento, afinal às 5 da matina e sem iluminação é complicado encontrar o carro no meio de tanta gente, para além de ter pago 1,5€ não sei para quê!
2- Tenda Providers com som muito forte, só mesmo malta com ajuda de "algumas coisas" aguentava o andamento a noite toda. Péssima qualidade de som.
3- Jazzanova, onde eu colocava tantas e tantas expectativas, falharam redondamente e a menina Clara Hill cantou, mas estava bem longe de encantar seja quem fosse.
4- Falta do "programa das festas" na entrada de cada tenda.
5- Onde andava o D&B??? Fugiu não?!?

A Tangerina

domingo, julho 11, 2004

Parabéns ao Molin!


Tenho Saudades tuas, pá!

Parabéns!

A Tangerina

sexta-feira, julho 09, 2004

Era para escrever um post...

...e ainda escrevi algumas linhas. Mas a coisa não estava a resultar bem. Logo, se calhar, é melhor não escrever nada, não é?
Que lhes parece?

quinta-feira, julho 08, 2004

A Avó McDonald's...


...faz hoje 89 anos.

Em primeira mão...


Uma foto das minhas saborosas e curtas férias!

A Tangerina

NOTA: comadre Paula, a próxima vez que for ao dentista, prometo que te ligo, quem haveria de imaginar que trabalhavas na Quinta do Lambert?!?

Tour de França

ou haverá melhor para adormecer que a voz do Marco Chagas?


O Tour


O sr Marco Chagas
(que faz os seus comentários na RTPn - experimentem a voz envolvente deste homem)

A Tangerina

quarta-feira, julho 07, 2004

De como a vida não é perfeita

Por um lado, A Praia do Ivan fez um aninho, no outro dia, salvo erro (ai este cansaço!). Great!!

Por outro, o Memória Inventada fechou o estaminé. Mas ainda estou à espera de uma conferência de imprensa com o desmentido. Not great!

Estou exausta.

segunda-feira, julho 05, 2004

Hoje é um novo dia!

Já alguém bebeu realmente aquela Frize de figo. Pergunto-me se a escolha do fruto não terá relação com o jogador. Que acham? A que saberá, efectivamente Frize de figo? A figo?
Lembro-me de há muitos anos atrás a minha mãe me ter comprado Nestum de figo ( no tempo em que, o hoje jogador, também devia comer Nestum e ainda não havia a possibilidade de fazermos este tipo de associações de ideias) e aquilo sabia muito mal. Pergunto-me porque motivo a água saberá melhor uma vez que, presumo, os figos não terão mudado de sabor e a sua hidrólise deve ser feita da mesma forma.
Quando alguém beber Frize de figo, esclareçam-me estas dúvidas roxas por favor.

domingo, julho 04, 2004

«A poesia não se explica, a poesia implica» (Sophia de Mello Breyner Andresen)

"Sophia é, por certo, um dos poetas que mais perto está da pulsação inicial e mágica da palavra. E por isso a sua poesia, como toda a verdadeira e grande poesia, pode ser dita, cantada e até dançada. (...)" ( ler o resto em "Perto da pulsação inicial ", Manuel Alegre sobre Sophia de Mello Breyner Andresen)



Aqui nesta praia onde
Não há nenhum vestígio de impureza,
Aqui onde há somente
Ondas tombando ininterruptamente,
Aqui o tempo apaixonadamente
Puro espaço e lúcida unidade,
Encontra a própria liberdade.

(Sophia de Mello Breyner Andresen, Liberdade)


Para Sophia, outro cantor do mar:

"Alguns dos pescadores mais novos
(...) dizem el mar, que é masculino.
Falavam dele como de um antagonista,
um lugar, até um inimigo. Mas o velho sempre
pensava no mar como feminino, como algo
que entrega ou recusa favores supremos, e,
se tresvariava ou fazia maldades era porque não
podia deixar de as fazer. A lua influi
no mar como as mulheres, pensava ele.
"
(Hernest Hemingway, O Velho e o Mar)

Vamos lá cambada

quinta-feira, julho 01, 2004

Quanto mais conheço as pessoas, mais gosto dos animais.

Para a Comadre Maria das Flores Aka Mulher que defende as antecipadas